Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
34ºmax
24ºmin
Notícias

Pouca chuva pode prejudicar a germinação das lavouras de soja

06 outubro 2011 - 11h50Por Agora MS
Pouca chuva pode prejudicar a germinação das lavouras de soja

Os campos da região de Dourados começaram a receber desde o sábado, 1º de outubro, as primeiras sementes de soja para a safra 2011/2012. Desta forma, dentre as cinco etapas básicas (planejamento, manejo da área, semeadura e adubação, tratos culturais e colheita) envolvidas no processo produtivo da cultura da soja, atualmente, a região se encontra no processo de semeadura. As etapas anteriores, planejamento e manejo da área, já foram realizadas ou estão em seu processo final de execução.

Segundo dados da Embrapa Agropecuária Oeste, o produtor rural deve estar atento às orientações voltadas para a fase da semeadura que é considerada a etapa do processo produtivo que envolve cerca de 45,5% do  custo  de produção das lavouras de soja.  “Esta operação engloba o uso da semente, o tratamento da semente, a inoculação, o adubo, o micronutriente e a operação agrícola. Este percentual que envolve praticamente metade do custo de produção da lavoura reforça a necessidade de que o produtor dê atenção especial para essa etapa, visto que a semeadura realizada de forma errada ou em época desfavorável poderá acarretar prejuízos irreparáveis”, explica o pesquisador da Unidade, Alceu Richetti.

Assim, para obter os resultados de semeadura desejados o agricultor precisa estar atento ao manejo do solo, especialmente em relação à umidade. O Chefe Adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Agropecuária Oeste, Claudio Lazzarotto, explica que os fatores climáticos, especialmente no tocante à distribuição das chuvas são determinantes para o desenvolvimento da lavoura de soja, inclusive durante a semeadura.

A chuva mensal acumulada em Dourados nos últimos dias foi de 8.0 mm. “Esse é um momento que demanda muita cautela por parte dos produtores, pois as chuvas ainda são poucas e irregulares e as previsões não apontam chuvas abundantes para os próximos dias, indicando que a época ainda é de alto risco para plantio”, declara Lazzarotto.

Segundo ele, embora o zoneamento permita o plantio a partir de 1º de outubro, é recomendável que a semeadura seja feita apenas quando as condições de umidade de solo forem adequadas para garantir a germinação das sementes e a emergência das plantas, o que ocorre empiricamente depois de uma chuva de 50 milimetros. Lazzarotto destaca ainda que é preciso atender às características da cultivar a ser semeada, haja vista que as noites ainda são frias e os dias são curtos para determinadas cultivares. Finalmente, ele lembra que a escassez de umidade do solo nessa etapa pode comprometer a germinação da semente, causando grandes prejuízos como já ocorridos em safras passadas.