Menu
Busca terça, 05 de julho de 2022
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
30ºmax
21ºmin
BIOTECNOLOGIA

Nove lançamentos para sistemas de produção de soja são apresentados no CBSoja

Três tecnologias, cinco publicações e uma rede de pesquisa para produção sustentável da oleaginosa foram lançados

18 maio 2022 - 08h32Por Embrapa

Três tecnologias, cinco publicações e uma rede de pesquisa para produção sustentável da soja foram lançados ontem (17) no estande da Embrapa no IX Congresso Brasileiro de Soja (CBSoja) e Mercosoja 2022, realizados de 16 a 19 de maio de 2022, em Foz do Iguaçu (PR).

Pela Embra, foi lançado o Software AFERE, o qual os produtores rurais, empresas do mercado de consultoria, planejamento e assistência técnica poderão dispor de informações para melhorar a eficiência sobre o manejo da fertilidade do solo e adubação das plantas com a plataforma on-line Avaliação da Fertilidade do Solo e Recomendação da Adubação (AFERE).

Lançada pela Embrapa, a plataforma está disponibilizando o primeiro módulo, que realizará o cálculo do balanço da adubação, possibilitando o manejo com reposição ou restituição de nutrientes em sistemas de produção de soja. O software pode ser acessado na página www.embrapa.br/soja/afere.

A empresa também lançou o ZARC-SOJA 2022, Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC), para a soja adquiriu novos parâmetros em 2022, aumentando de três para seis as classes de água disponível no solo. O novo patamar foi definido com base na composição textural dos distintos solos brasileiros, considerando também as características da cultura.

O marco busca minimizar riscos advindos da variabilidade climática, acompanhar o desenvolvimento tecnológico no campo, ampliar a produção e a renda. A tecnologia é fruto de uma  parceria entre Embrapa, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e Banco Central do Brasil (BCB).

Mais novidades

Focada na cultura que impulsiona o uso de bioestimulantes, biorreguladores, agentes biológicos de controle, bioprotetores, biofertilizantes e  inoculantes no Brasil, a Embrapa lançou a publicação "Bioinsumos na cultura da soja". O livro compila conhecimentos técnicos sobre  produtos, processos e tecnologias no contexto de produção sustentável.

A publicação tem como editores Maurício Conrado Meyer (Embrapa Soja), Adeney de Freitas Bueno (Embrapa Soja), Sérgio Miguel Mazaro (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) e Juliano Cesar da Silva (Biotrop). Editada pela Embrapa, a publicação tem versões digital e impressa de acesso aberto gratuito e apresenta cinco partes temáticas: Cenário, desafio e inovações de bioinsumos na cultura da soja; Tecnologias de aplicação;  Aplicações - rizosfera/saúde do solo; Aplicações - manejo de plantas daninhas e doenças e Aplicações - manejo de pragas. 

Outra novidade lançada pela Embrapa é a BioAS Paraná (Bioanálise de Solo para o Paraná), que, visando maior eficiência nas análises do solo, essa tecnologia já tinha sido lançada em julho de 2020, mas, até o momento, estava calibrada apenas para cultivos anuais no Bioma Cerrado. Nos dois últimos anos foram desenvolvidos algoritmos de interpretação para os níveis de atividade enzimática (alto, médio e baixo), específicos para os solos do Paraná, sob cultivos anuais.

A tecnologia consiste na agregação de enzimas às análises químicas. Mais sensíveis que indicadores químicos e físicos, as enzimas antecipam alterações na saúde do solo, em função de seu uso e manejo. A tecnologia BioAS também envolve o cálculo de Índices de Qualidade de Solo (IQ/S), com base nas propriedades químicas e biológicas em conjunto (IQSFERTBIO) e separadamente (IQSBiológico e IQSQuímico). 

A Embrapa também lançou a publicação em espanhol "Trichoderma e controle biológico", que aborda o uso de Trichoderma no manejo sustentável de doenças na sojicultura e é uma alternativa ao uso de grandes quantidades de agroquímicos para o controle de microrganismos fitopatogênicos.

O lançamento da versão em espanhol da publicação “Trichoderma: Uso en la agricultura” apresenta informações atualizadas sobre o manejo correto de produtos à base de agentes de biocontrole. O livro tem a edição técnica de Maurício Meyer (Embrapa Soja), Sérgio Mazaro (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) e Juliano Cesar da Silva (Biotrop), que contaram com Yelitza Colmenarez e Carlos Vasquez (Centro Internacional de Biociência Agrícola - CABI) na revisão técnica e na tradução para o idioma espanhol.

A publicação amplia a divulgação de resultados brasileiros para a América Latina com o objetivo de incentivar o aumento da pesquisa, bem como do uso de Trichoderma spp. O livro contribui ainda na divulgação de aspectos relacionados ao Trichoderma, como a riqueza de espécies, mecanismos de ação, produtos comerciais disponíveis, entre outros.

Parceiros

Já a Esalq lançou a publicação "Soja do Plantio à colheita", organizada por Felipe Silva, Aluízio Borém, Tuneo Sediyama e Gil Câmara, (Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"  - ESALQ). O livro destaca a importância econômica da soja, sua botânica e fenologia, exigências edafoclimáticas, características agronômicas dos cultivares, tecnologias transgênicas e aplicação de agricultura de precisão para otimização dos recursos e da produtividade. A obra reúne especialistas de diferentes instituições.

Outra publicação é da FieldCrops, grupo de pesquisa da Universidade Federal de Santa Maria (RS), intitulada "Ecofisiologia da Soja" e visa altas produtividades. A publicação compila 13 anos de pesquisa, atualizando parâmetros ecofisiológicos da soja a ambientes e práticas de manejo específicas para cada região brasileira, a fim de diminuir a lacuna de produtividade existente nas lavouras. Isso porque o conhecimento de como as plantas de soja crescem e se desenvolvem permite entender como e quando são formados os componentes de produtividade ao longo do ciclo de desenvolvimento.

Já a publicação “Pesquisas, Avanços e Futuro - O crescimento da Fixação Biológica do Nitrogênio (FBN)”, de Solon Cordeiro de Araujo, consultor da Associação dos Produtores e Importadores de Inoculantes (ANPII), apresenta um panorama evolutivo da FBN. A edição é da Newslink Comunicação e está dividida em oito capítulos que abordam aspectos do mercado de inoculantes do Brasil, os novos avanços da FBN e a interação entre academia-indústria.

Além de tecnologias e publicações, ainda foi lançada a Rede Fitossanidade Tropical (RTF), que tem o objetivo de gerar e transferir informações, baseadas em pesquisas aplicadas para a fitossanidade, a partir de três especialidades: entomologia, fitopatologia e herbologia. Criada para enfrentar os problemas fitossanitários no país, a RFT apresenta potenciais vantagens aos pesquisadores integrados, como a união de esforços e recursos; a maior aproximação do setor privado e entre pesquisadores, o fortalecimento dos trabalhos e a ampliação de novas frentes cooperativas, a captação financeira, entre outros. Mais informações sobre a rede no site https://www.fitossanidadetropical.org.br/