Menu
Busca sábado, 15 de junho de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
23º
BEZERROS

Negócios no mercado de reposição patinam, apesar dos preços atrativos

Recuo nas cotações do boi gordo, além de pastos ainda ruins, desestimulou procura por animais jovens nas principais regiões pecuárias brasileiras

12 setembro 2022 - 11h20Por DBO Rural

Nesta primeira semana de setembro, o volume de negócios concretizados no mercado brasileiro de reposição foi mínimo, informam as consultorias que acompanham o setor pecuário. “A somatória de pastagens com baixa capacidade de suporte, mercado pressionado negativamente para o boi gordo, além de um feriado nacional no meio da semana, explica esse cenário”, acrescentam os analistas.

“Por ora, o mercado de reposição deve se manter com pouca movimentação, portanto, novas quedas não estão descartadas”, relata a Scot Consultoria. No entanto, no médio prazo, o cenário positivo esperado para o boi gordo no último trimestre do ano pode dar ânimo para recriadores e invernistas a se lançarem às compras com mais intensidade, dando firmeza às cotações, acrescentam os analistas da Scot.

Nesta semana, segundo apuração da IHS Markit, o mercado de gado para reposição seguiu com volatilidade de preços para as principais categoria em meio a inconsistência das comercializações. “O fluxo de negócios chegou a esboçar melhora da liquidez entre algumas praças pecuárias do País, mas a oferta ainda se mostra elevada, o que prejudica a formação de preços mais firmes”, observa a IHS.

Na avaliação da consultoria, os baixos preços da reposição servem para manter uma dinâmica minimamente consistente entre as regiões, já que a relação de troca ainda se mostra vantajosa aos compradores, mesmo com as recentes quedas nos preços da boiada gorda. Em São Paulo, por exemplo, enquanto o que o preço médio da arroba do boi gordo está 2,2% abaixo da média de setembro do ano passado, neste mesmo período, o valor do bezerro de ano apresenta recuo de 16,5% e o boi magro, de 12,1%, compara a IHS.

Nesta primeira semana de setembro, entre as principais praças pecuárias do Brasil, no Centro-Oeste, houve ajustes negativos entre os preços de algumas categorias em Goiás e no Mato Grosso do Sul. “A maior oferta de bezerrada continua fragilizando os preços locais”, afirma a IHS, referindo aos dois Estados citados acima. No Mato Grosso, a semana foi de tímidos ajustes, com a pouca ocorrência de leilões. No Sudeste, os preços da reposição registraram quedas no Estado de Minas Gerais, onde o clima continua muito seco.

No interior paulista, os negócios continuam pontuais em meio a uma menor oferta de animais colocados à venda. Na região Sul, informa a IHS, a semana foi de ajustes negativos nos preços das fêmeas, com descarte de animais. Entre as praças da região Norte, relata a IHS, o mercado foi impactado negativamente pelas quedas observadas nos preços da arroba do boi gordo.