Menu
Busca segunda, 21 de junho de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
28ºmax
13ºmin
Notícias

Milho dá continuidade ao movimento positivo e amplia ganhos ao longo do pregão desta 2ª feira na CBO

11 abril 2017 - 00h00Por Notícias Agrícolas

Na Bolsa de Chicago (CBOT), os futuros do milho dão continuidade ao movimento positivo ao longo do pregão desta segunda-feira (10). Às 12h28 (horário de Brasília), as principais posições do cereal exibiam valorizações entre 3,00 e 4,25 pontos. O vencimento maio/17 era cotado a US$ 3,63 por bushel, enquanto o julho/17 trabalhava a US$ 3,70 por bushel.

As cotações do cereal ainda aguardam os novos números do boletim de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) que será divulgado nesta terça-feira (11). Porém, os preços encontram suporte no anúncio da venda de 111.200 mil toneladas do grão para destinos desconhecidos. O volume deverá ser entregue ao longo da campanha 2016/17.

Em contrapartida, os embarques semanais ficaram 841,9 mil toneladas na semana encerrada no dia 23 de março. Cerca de 716,9 mil toneladas são da safra 2016/17 e o restante, de 125 mil toneladas, do ciclo 2017/18. O volume ficou abaixo das expectativas dos investidores, entre 1 milhão a 1,5 milhão de toneladas. Na semana anterior, o número ficou em 1.475,257 milhão de toneladas.

Paralelamente, o plantio do milho nos Estados Unidos também continua sendo observado pelos participantes do mercado. "Os dados de plantio do grão deverão ficar próximos de 6% a 7% contra uma média de 4% para essa época do ano", disse Richard Feltes em RJ O'Brien. Com isso, as previsões climáticas também continuam no radar do mercado, mas, por enquanto, a perspectiva é de tempo aberto essa semana, o que deve favorecer o progresso dos trabalhos nos campos.

BM&F Bovespa

Enquanto isso, na BM&F Bovespa, os futuros da commodity iniciaram a semana com leves ganhos. As principais posições do cereal apresentavam altas entre 0,03% e 0,70%. Perto das 12h27 (horário de Brasília), o contrato maio/17 era cotado a R$ 27,25 a saca, já o setembro/17 operava a R$ 27,35 a saca.

As cotações encontram suporte nas valorizações registradas nos preços no mercado internacional. Já o dólar, outro importante componente na composição dos valores, era cotado a R$ 3,145, com queda de 0,15%, às 12h50. Conforme dados da Reuters, a moeda acompanha o cenário internacional, mas também segue focada na situação do mercado interno, com a reforma da Previdência.