Menu
Busca terça, 23 de abril de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
24º
TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA

Mapa, Embrapa e Sindilat lançam projeto para resgatar valor da produção leiteira

Estão planejadas 24 sessões para escolas públicas, durante a Expointer 2022, de 27 de agosto a 4 de setembro.

26 agosto 2022 - 08h51Por Embrapa

Uma estória bem contada, em um drama que envolve um rapaz, que mora na cidade grande e recebe a notícia que um tio distante lhe deixou de herança uma fazenda leiteira. Esse é um pedacinho do enredo da peça teatral  “Na Fazenda Doce de Leite”, voltada a crianças de 5 a 10 anos.

A iniciativa faz parte das atividades da parceria Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Embrapa e Sindicato  da Indústria de Laticínios do Rio Grande do Sul (Sindilat), como parte das ações do Projeto Fazenda Doce de Leite, lançado neste dia 23 de agosto, no auditório do Mapa, em Porto Alegre.

O Projeto terá o envolvimento de escolas públicas, as quais ajudarão a iniciativa que pretende conscientizar o público infantil sobre a importância do rural, consumo de leite e lácteos e as boas práticas agropecuárias para produção e comercialização do leite. Estão planejadas 24 sessões para escolas públicas, durante a Expointer 2022, de 27 de agosto a 4 de setembro.

“Essa ação é importante porque aproxima o setor do consumidor e valoriza o produtor e a família”, frisou a superintendente do Mapa/RS, Helena Rugeri, no  lançamento da ação. Segundo ela, o projeto vem ao encontro de várias ações desenvolvidas pelo Ministério da Agricultura tanto na área do desenvolvimento quanto de defesa agropecuária. 

Segundo o chefe-geral da Embrapa Clima Temperado, Roberto Pedroso de Oliveira, o projeto é uma excelente oportunidade para a Embrapa intensificar a comunicação com a sociedade, especialmente com o público infantil, sobre a cadeia produtiva do leite, em que várias tecnologias são geradas pela Empresa. “As crianças terão oportunidade de entender como o leite é produzido e industrializado, a realidade do meio rural e a importância da pesquisa para garantir a produção de um alimento de qualidade, de uma forma lúdica”, pontuou. 

O secretário-executivo do Sindilat, Darlan Palharini, informou que o roteiro foi composto de forma a explicar para as crianças que o leite não vem da caixinha. “As crianças dos grandes centros urbanos veem os pais comprarem leite no supermercado e não sabem que por trás de toda embalagem dos produtos que consomem há muito trabalho e dedicação de produtores e da indústria. Como representantes do setor lácteo, sabemos da importância de orientar o consumidor sobre a origem dos produtos, cuidados com o trato dos animais e princípios nutricionais do leite”, destacou. 

A peça teatral

A obra fala de maneira lúdica sobre a importância do produtor de leite e de forma divertida sobre os benefícios do leite, boas práticas na produção, envolvendo bem-estar animal, conservação do meio ambiente, destino correto das embalagens na propriedade rural e nos centros urbanos, além de mostrar um pouco do dia-a-dia na propriedade rural, a importância do aleitamento materno e  o imprescindível papel dos estudos para as crianças nos meios urbano e rural. 

O diretor da Khaos Cênica, Denisson Beretta, conta que o roteiro busca oferecer às crianças uma experiência memorável e uma reflexão sobre a produção da indústria leiteira. “É importante a tomada de consciência das crianças quando elas têm contato com outra realidade que não é a sua, percebendo assim as diferenças que existem entre o campo e a cidade”, falou. Após cada sessão, de 30 minutos de duração, as crianças participarão de bate-papo com os atores, cliques de fotos com os personagens e irão degustar produtos lácteos. 

Apresentações na Expointer

As apresentações da peça teatral ocorrerão na Casa da Indústria de Laticínios - Quadra 46 do Boulevard no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS) -, ao longo de toda a Exposição. A expectativa é receber mais de 4 mil crianças, incluindo neste momento escolas da rede pública de ensino de Sapucaia do Sul. Nos dias de semana, as apresentações serão às 8h30min, 10h, 14h e 15h30min. No primeiro fim de semana, no sábado e no domingo, haverá sessão às 15h. Já no último final de semana da feira, no sábado serão dois horários, às 10h e às 15h, e no domingo, às 10h. 

Para complementar a sessão teatral acontecerá também  a visita ao Recanto das Terneiras, um novo espaço, que permite aos visitantes interagir com as vacas das raças Jersey e Holandês, relacionando os conceitos trabalhados de produção e industrialização do leite. Toda a visitação será acompanhada por um especialista da Universidade de Passo Fundo (UPF), parceira na atividade. 

Projeto Fazenda Doce de Leite

É uma ação onde se destaca todo o processo de pesquisa para garantir a qualidade do leite, utilizando a linguagem lúdica, junto às escolas públicas até dezembro de 2023, sendo previsto um público de mais de 60 mil crianças.  

Após a largada do Projeto nas escolas de Sapucaia do Sul, as apresentações seguem para Pelotas e a região Metropolitana, as quais foram convidadas a se inserir no Projeto as cidades de Porto Alegre, Cachoeirinha, Campo Bom, Canoas, Dois Irmãos, Eldorado, Estância Velha, Esteio, Gravataí, Guaíba, Nova Santa Rita, Novo Hamburgo, São Leopoldo e Viamão.

Arte na Caixinha

Outra novidade deste Projeto é a atividade do Concurso Arte na Caixinha. Com a temática “O leite na sua vida”, a atividade visa estimular a criatividade das crianças e reforçar a importância da reciclagem de materiais que seriam descartados, dando novas cores e designs às embalagens de leite UHT.

A ideia é que as crianças usem a imaginação para dar nova roupagem às embalagens do produto, apostando em técnicas como pintura, colagem, desenho e grafite. Serão aceitas diferentes formas de intervenções desde que preservada a forma original da caixa de leite. A ação será realizada junto às escolas do Estado do Rio Grande do Sul. Os trabalhos poderão ser inscritos em três categorias: Infantil (entre 5 e 6 anos), Júnior (entre 7 e 8 anos) e Juvenil (entre 9 e 10 anos). 

As inscrições de trabalhos deverão ser feitas por um professor integrante do quadro docente da instituição de ensino em que a criança está matriculada. Para isso, é necessário preencher ficha de inscrição, enviá-la pelo e-mail [email protected] junto com identidade do professor responsável, identidade ou comprovante de matrícula dos alunos participantes, autorização assinada pelos pais/responsáveis e, no mínimo, quatro fotos individualizadas da peça. É importante que as imagens mostrem todos os lados da obra.