Menu
Busca sábado, 13 de julho de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
PRODUÇÃO ORGÂNICA

Lançado projeto para fortalecimento do algodão em consórcios agroecológicos no Semiárido

O projeto visa ampliar as áreas de cultivo do algodão agroecológico e irá beneficiar agricultores dos nove estados do Nordeste, além de Minas Gerais

21 novembro 2023 - 09h26Por Embrapa

O projeto Fortalecimento do algodão em consórcios agroecológicos no Semiárido, coordenado pela Embrapa Algodão, em parceria com o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste (Consórcio Nordeste), com o financiamento do Ministério do Desenvolvimento Agrário. foi lançado durante a II Feira Nordestina da Agricultura Familiar e Solidária na Paraíba (Fenafes), realizada de 16 a 19 deste mês, em João Pessoa (PB), com cerca de 12 mil visitantes.

O projeto visa ampliar as áreas de cultivo do algodão agroecológico e irá beneficiar agricultores dos nove estados do Nordeste, além de Minas Gerais. Serão capacitados agricultores e técnicos por meio da experimentação participativa nas Unidades de Aprendizagem e Pesquisa Participativa (UAPs), visando o compartilhamento de técnicas, tecnologias e procedimentos que proporcionem o amento da produtividade, rentabilidade e sustentabilidade do algodão agroecológico.

“Para viabilizar o projeto, vamos estabelecer uma rede de parcerias com as unidades descentralizadas da Embrapa e diversos atores vinculados à cadeia produtiva do algodão no Semiárido, desde governos estaduais, instituições de assistência técnica e extensão rural, instituições de pesquisa, organizações sociais, prefeituras, sindicatos e associações rurais, cooperativas, universidades, escolas técnicas e empresas de moda sustentável”, explicou o líder do projeto pela Embrapa Algodão, pesquisador Frederico Lisita.

Durante a feira, a Unidade também expôs tecnologias como máquinas e implementos para a agricultura familiar, algodão colorido e agroecológico, gergelim, amendoim, mamona, sisal e integração lavoura-pecuária.

Além disso, a chefe-geral da Embrapa Algodão Nair Arriel ministrou palestra sobre Algodão agroecológico em consórcios alimentares, mostrando que é possível produzir algodão sem produtos químicos, preservar solo, água, plantas e animais. “Nesse projeto, além da geração de renda a alimentos para as famílias e seus animais, por meio da diversificação de culturas, nós buscamos ainda valorizar a cultura local, o fortalecimento da juventude rural e a igualdade de gênero, afirmou Arriel.

Já o pesquisador Odilon Reny Ribeiro ministrou palestra sobre Inovações em equipamentos para a agricultura familiar no cultivo do algodão, desenvolvidas no âmbito do projeto + Algodão, fruto da cooperação Brasil-Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). O projeto beneficia agricultores brasileiros e de sete países parceiros - Argentina, Bolívia, Equador, Colômbia, Haiti, Paraguai e Peru.

“A mecanização é fundamental para todos os agricultores, incluindo os pequenos, porque facilita a realização das tarefas agrícolas com menor tempo, custo e, principalmente, menos esforço. Por isso, a Embrapa e a FAO vêm trabalhando fortemente no intuito de oferecer esses equipamentos aos agricultores”, destaca o pesquisador. Entre os implementos apresentados na palestra estavam equipamentos para o plantio, preparo do solo, pulverização, beneficiamento e colheita.