Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
24ºmax
19ºmin
Notícias

Independência diz que vai retomar atividades, mas não tem data

10 novembro 2009 - 00h00Por Jefferson da Luz

Depois de anunciar com grande satisfação a aprovação de um plano de pagamento das dívidas, o Frigorífico Independência já fala em retomar as atividades. Parado deste antes do meio do ano por conta de dívidas que somam mais de R$ 3 bilhões, teve de pedir recuperação judicial para não ver os bens sendo confiscado pela Justiça para o pagamento de dívidas.

Quando vão retornar os abates nas 14 unidades do país ainda é uma incógnita. Mas isso tem de ser feito pelo conselho administrativo que foi estabelecido no Plano Consolidado, pois é justamente para isso que a recuperação judicial serve, dar um fôlego até que a empresa tenha condições de voltar ao mercado.

Na nota divulgada no site do grupo há apenas duas linhas sobre esta possibilidade. “Com a aprovação do Plano Consolidado, as Companhias dão início a uma nova etapa de trabalho focada na retomada de suas operações”, diz o trecho.

 Na sede da empresa, em Cajamar, São Paulo, a assessoria de comunicação disse que a orientação é de que qualquer pronunciamento sobre a retomada das atividades só será feito depois da segunda quinzena de novembro.

Como vai ser - Uma questão que ainda tem de ser esclarecida é: de onde vai sair o dinheiro para colocar o grupo mais uma vezes em operação? No Plano Consolidado o Independência é claro ao dizer que as ações judiciais impetradas antes da proteção que a recuperação judicial confere prejudicaram duramente o Grupo, principalmente no que diz respeito ao capital de giro.

Da nova diretoria farão parte dois representantes do BNDESPar -uma holding do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social que administra a participação do da instituição em outras empresas-, pode ser daí que os recursos venham, o banco já havia emprestado R$ 250 milhões ao Independência antes da crise, em 2008, e estava para aprovar mais R$ 200 milhões.

Outra alternativa seria a venda do grupo para outro que trabalha no setor. Há comentários, nos bastidores, de que a Brasil Foods, holding proprietária da Sadia e da Perdigão estaria interessada nessa aquisição, mas nada é confirmado.

Conforme projeções apresentadas no Plano Consolidado, no ano que vem, o Independência terá uma receita bruta de R$ 1,6 bilhões, e um lucro líquido de 5%. Bastante atrativo para quem vai fechar o ano de 2009 com uma receita bruta de R$ 792 milhões e um prejuízo de 29%.