Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
40ºmax
23ºmin
Notícias

Inalca: JBS tem problemas com sócio italiano

13 julho 2010 - 00h00Por Valor Econômico.

A JBS entrou no dia 08/07com uma medida cautelar na Itália para "tratar de assuntos pendentes de governança corporativa" com o grupo Cremonini, do qual a JBS comprou 50% da Inalca em 2007, formando a Inalca JBS. A empresa responde por 2,8% da receita consolidada da JBS.

Em comunicado ao mercado na noite de ontem, a JBS afirma que, "devido ao não cumprimento de determinadas cláusulas contratuais", a empresa decidiu adotar a medida "como forma de proteger seus acionistas".

Ainda segundo a JBS, a medida cautelar, que é um instrumento jurídico para assegurar um direito que está sendo supostamente ameaçado, serve de preparação para a arbitragem na Câmara de Comércio Internacional (ICC), em Paris.

A empresa pede, na cautelar, acesso completo à informações relevantes e às instalações da Inalca JBS por parte dos membros do conselho indicados pela JBS e o cumprimento da cláusula que permite à JBS nomear o diretor financeiro da Inalca JBS e de suas subsidiárias.

"[Por meio] dessa ação, a JBS acredita que alcançará o equilíbrio administrativo adequado na Inalca JBS e que preservará os interesses de seus acionistas", afirma a companhia.

A JBS adquiriu, no fim de 2007, metade do capital da italiana Inalca por € 225 milhões. O negócio permitiu à empresa colocar um pé na Europa e atingir novos mercados e clientes no setor de refeições rápidas, industrializados e varejo.

A empresa também passou a ter acesso à tecnologia utilizada pela Inalca em suas operações de produção. No lado da Cremonini, a transação garantiu acesso às principais fontes de carne bovina representadas pelas operações globais da JBS em vários países.

No começo do ano, a Inalca JBS inaugurou na Rússia um complexo industrial, que teve investimentos de € 100 milhões, para produzir hambúrguer em Odinzovo, perto de Moscou. A Inalca JBS faturou aproximadamente € 140 milhões em 2009 e a previsão era elevar em 20% a receita bruta neste ano com a fábrica russa.