Menu
Busca sexta, 25 de junho de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
30ºmax
19ºmin
Meio Ambiente

Governo publica decreto de desapropriação de áreas do Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro

05 maio 2021 - 11h00Por Marcelo Armôa | Assessoria de Comunicação da Semagro
Governo publica decreto de desapropriação de áreas do Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro

O Governo do Estado publicou nesta terça-feira (4), decreto que declara de utilidade pública, para fins de desapropriação, duas das propriedades rurais que integram o Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro. O decreto é assinado pelo governador Reinaldo Azambuja e o secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

O Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro, Unidade de Conservação de Proteção Integral, foi criado em 5 de junho de 2000. Está situado nos municípios de Aquidauana e Corumbá e abrange uma área total de 76.851,7994 hectares.

Conforme a publicação, 41.384,0430 hectares de área da Fazenda Redenção e 2.995,3816 hectares da Fazenda Santo Antônio do Rio Vermelho, que integram o Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro, serão desapropriados.

Com os 10,802.0204 hectares da Fazenda Esperança, já de propriedade do Estado, o parque passa agora a contar com 55.81,4450 hectares regularizados, o que representa 71,79% de sua área total. “A medida dá segurança jurídica e fortalece as ações de gestão e proteção da Unidade de Conservação”, comenta Jaime Verruck.

Parte do aporte financeiro para aquisição das áreas será oriundo de acordo do Governo do Estado com a CESP, com complementação de recursos de compensação ambiental destinados ao Parque do Rio Negro. A estimativa de valor é de cerca de R$ 25 milhões.

De acordo com o superintendente Meio Ambiente e Turismo da Semagro, Pedro Mendes, como estratégia para a regularização fundiária das demais áreas do Parque, já foram iniciadas as tratativas para a compensação de reserva legal no Parque que viabilizarão a doação de mais 16.465,4959 hectares a serem somados à área total da Unidade de Conservação.

O secretário Jaime Verruck lembra que “a compensação de reserva legal é um mecanismo inteligente que permite a regularização fundiária e que traz um componente fundamental na política ambiental do Governo do Estado, que é a sustentabilidade”.

Histórico do Parque

Criado há 20 anos, o Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro abrange os municípios de Aquidauana e Corumbá. Sua área contempla ambientes representativos e diversificados característicos do Pantanal, como lagoas permanentes, cordões de matas e o brejão do Rio Negro, os quais servem de refúgio e fonte de alimento a fauna local. Essas áreas periodicamente inundadas são consideradas como o berçário dos peixes do Pantanal.

Na zona de amortecimento do Parque, as RPPNs (Reserva Particular do Patrimônio Natural) – Santa Sofia, Fazendinha e Rio Negro – junto com a dimensão territorial do Parque Estadual, formam o maior conjunto de áreas naturais protegidas no Estado, totalizando cerca de 100 mil hectares.

O Parque tem como principal atividade a pesquisa cientifica. Entre os atrativos estão trilhas, lagoas (barcos), fauna (grandes mamíferos) e flora abundantes (bosques de carandazal, buritizal e babaçual). Com a revisão do plano de manejo da Unidade de Conservação, há possibilidade de ampliação das atividades, com visitação, arborismo, safári fotográfico e observação de fauna e flora.

Leia Também

STF deve julgar ação de demarcação de terras indígenas no dia 30
Repercussão geral
STF deve julgar ação de demarcação de terras indígenas no dia 30
Fim dos Conflitos
Câmara aprova projeto que regulamenta demarcação de terras indígenas
Aprovado o mérito na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o substitutivo ao PL 490/2007 aguarda análise dos destaques para seguir ao Plenário
Notícias
Cai diferença entre valor da arroba e carne no atacado
Com mercado do boi gordo em banho-maria, estabilidade nos preços da arroba é mantida
Análise
Com mercado do boi gordo em banho-maria, estabilidade nos preços da arroba é mantida