Menu
Busca sábado, 19 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
32ºmax
21ºmin
Notícias

Fronteira da Bolívia com Corumbá é reaberta após 12 horas

15 setembro 2011 - 12h14Por Diarionline
Fronteira da Bolívia com Corumbá é reaberta após 12 horas

Durou doze horas a interdição da fronteira boliviana promovida nesta quarta-feira, 14 de setembro, pelos Comitês Cívicos de Arroyo Concépcion; Puerto Quijarro e Puerto Suárez. A mobilização teve início a meia-noite e terminou ao meio-dia de ontem com a liberação do tráfego de veículos para entrada e saída na Bolívia. Durante o período de manifestação, somente pedestres cruzavam a linha fronteiriça.

A mobilização foi um desdobramento de ação similar que aconteceu no dia 17 de agosto quando os manifestantes solicitavam a negociação com o Governo daquele país a fim de extinguir multas e a redução da taxa de impostos alfandegários no processo de nacionalização de veículos sem documento. Naquela ocasião, a fronteira permaneceu fechada por trinta e nove horas.

O presidente do Comitê Cívico de Arroyo Concépcion, Jaime Algarañaz, explicou ao Diário que a interdição aconteceu pelos mesmos motivos da realizada em agosto. "Seguimos com o mesmo teor de reivindicação. Nosso pedido é que baixem os valores de taxas e das multas para nacionalizar os veículos", afirmou Algarañaz.

"Já havíamos nos manifestado anteriormente, o Governo está muito fechado, não há diálogo e não tivemos resultados", complementou o presidente do Comitê Cívico. Segundo ele, participaram do chamado "Paro Cívico" os departamentos (estados) Cochabamba; Oruro; La Paz; Santa Cruz e Beni.

Ao longo da manifestação foram bloqueadas as principais vias de ligação da Província de Germán Busch com o restante do país. "Fechamos estradas de ferro; a carretera (rodovia) para Santa Cruz está fechada, bloqueamos pontos estratégicos e aqui na fronteira. Fechamos aduanas e bancos para não ter como o Governo arrecadar", explicou o líder cívico.

Foi aberto um canal de negociação com o Governo para discutir o assunto. Mesmo com a liberação do acesso novos bloqueios não foram descartados. A previsão inicial dos manifestantes era que o protesto na fronteira da Província de Germán Busch com Corumbá ocorresse por tempo indeterminado.