Menu
Busca quarta, 05 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
31ºmax
16ºmin
Notícias

EUA: oferta de bovinos deve continuar declinando

02 fevereiro 2010 - 00h00Por BeefPoint.

Durante 2010, as ofertas de bovinos nos Estados Unidos deverão declinar mais 1% a 1,5%, informou o diretor executivo da Cattle-Fax, Randy Blach, na Convenção da Indústria Pecuária 2010 em San Antonio, Texas, no dia 29 de janeiro. A demanda por carne bovina no país deverá continuar impactada pela economia fraca e grande desemprego, disse ele.

Entretanto, 2010 "deverá ser um ano melhor para a indústria de carne bovina", disse ele, com as exportações devendo aumentar e os abates totais de gado gordo devendo cair. "A demanda continua sendo o maior desafio da indústria de carne bovina em 2010. Apesar da situação da oferta indicar alta de preços, a demanda precisa se estabilizar para que os preços fiquem significantemente maiores".

Os abates totais de gado gordo deverão cair em 2% em 2010 e os abates totais de vacas deverão declinar em quase 9%. Os pesos médios das carcaças deverão aumentar levemente e a produção de carne bovina deverá cair em 2,8%. As ofertas per capita líquidas de carne bovina deverão cair em 4% devido ao aumento inesperado nas exportações de carne bovina e menor produção.

As exportações de carne bovina em 2010 deverão aumentar em cerca de 8% com relação a 2009. As exportações de carne bovina dos Estados Unidos deverão aumentar esse ano para a Coreia do Sul e, em menor extensão, ao Japão e ao Vietnã.

A produção de milho dos Estados Unidos deverá declinar, à medida que a oferta de milho do país foi estimada em um recorde de 14,83 bilhões de bushels para o ano comercial de 2009/10. As ofertas de soja do país deverão aumentar em 10% comparado com o ano anterior - o segundo maior nível registrado, enquanto a área plantada de soja deverá ser de quase 79 milhões de acres.

Os preços futuros spot do milho deverão ficar em média em US$ 3,75 por bushel em 2010, quase o mesmo nível de 2009. A combinação de maiores colheitas de soja e milho, bem como um forte declínio na área plantada de milho, tem reduzido a necessidade de uma batalha por área nessa primavera.