Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
34ºmax
20ºmin
Notícias

Dilma espera restabelecimento do comércio de carnes com a Rússia

16 dezembro 2012 - 01h14Por AGÊNCIA BRASIL E ESTADÃO CONTEÚDO

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta, dia 14, em declaração à imprensa ao lado do presidente da Rússia, Vladimir Putin, que espera o pleno restabelecimento do comércio de carne entre o Brasil e a Rússia. Os dois presidentes se reuniram em Moscou e discutiram o assunto. Frustrando a expectativa do setor de anúncio de um acordo, a mandatária apontou que as autoridades ainda analisam documentos e informações apresentadas pela missão brasileira.

No dia 23 de novembro, o governo russo publicou nota informando que as compras de carne dos três Estados brasileiros totalmente embargados – Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul – poderiam ser retomadas.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, no entanto, anunciou a suspensão do embargo somente em 28 de novembro, após reuniões e rodadas de negociação com as autoridades sanitárias russas. As exportações de carne para a Rússia ainda não retornaram à normalidade, pois depende da rapidez de adequação dos frigoríficos às novas normas em conformidade com o padrão russo.

– Expressei minha expectativa para o pleno e pronto restabelecimento do comércio de carnes suínas entre os nossos países e o fim do embargo aos três estados brasileiros – disse Dilma.

Na quinta, dia 13, ela também conversou sobre o tema com o primeiro-ministro da Rússia, Dmitri Medvedev, e disse ter recebido um retorno positivo sobre o assunto. O embargo russo às carnes brasileiras durou um ano e cinco meses. Os motivos foram as divergências entre as exigências russas e as medidas sanitárias adotadas por frigoríficos no Brasil.

De acordo com o Estadão Conteúdo, tudo indica que a pendência relativa aos suínos foi resolvida. Os embarques do produto foram suspensos no dia 7 de dezembro, quando venceu o prazo dado pelos russos para o Brasil adotar um sistema de certificação para garantir que o produto destinado ao país não possui ractopamina – aditivo alimentar que reduz a gordura e aumenta a quantidade de carne nos animais. Durante a declaração à imprensa, a presidente Dilma ainda declarou o interesse em aumentar o dinamismo do comércio entre os dois países.

Mais cedo, empresários brasileiros e russos participaram de um fórum empresarial na busca de identificar oportunidades de negócios. Os dois governos assinaram sete comunicados, que incluem cooperação na área de defesa, de realização de grandes eventos esportivos e de modernização de suas economias.