Menu
Busca sexta, 25 de junho de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
30ºmax
19ºmin
Notícias

Cooperativas agropecuárias do Brasil faturaram R$ 200 bilhões em 2017

17 maio 2018 - 23h04Por Revista Globo Rural

As cooperativas de produção agropecuária no Brasil faturaram R$ 200 bilhões em 2017. O valor representa um crescimento de 10,61% em relação à receita registrada em 2016, que foi de R$ 180,8 bilhões. A informação é da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

“O cooperativismo vem se descolando da realidade do país em termos de crescimento. Vem crescendo mais”, avalia Renato Nobile, superintendente da OCB, que concedeu entrevista a Globo Rural durante a Agrobrasília, feira de tecnologia agrícola realizada nesta semana, em Brasília (DF).

Ele diz que o resultado reflete a maior industrialização, o que agrega valor. É o investimento em transformação de soja em óleo, por exemplo, ou o maior destino dos grãos à produção animal. Esse movimento foi ajudado por um mercado, no geral, favorável para os negócios das cooperativas.
 
“Na venda de produtos ou compra de insumos, a cooperativa serve como um balizador de preços. O desafio ao agregar valor é manter o equilíbrio entre conseguir os insumos com menor custo ao mesmo tempo remunerar bem os produtores”, explica o superintendente da OCB.
 
As cooperativas agropecuárias também exportaram mais em 2017. Foram US$ 6,16 bilhões, 20,07% a mais que em 2016: US$ 5,13 bilhões. O complexo soja respondeu por 28% do total, com US$ 1,74 bilhão. Depois aparecem açúcar e etanol, com 26% (US$ 1,6 bilhão), aves, com 21% (US$ 1,28 bilhão), café, com 11% (US$ 706 milhões) e suínos, com 6% (US$ 341 milhões).
 
Os dados da OCB mostram ainda que a China foi o principal destino dos embarques, respondendo por 19% das exportações das cooperativas agropecuárias. Depois aparecem os Estados Unidos (8%), Emirados Árabes (7%) e Alemanha (7%).
 
2018
 
Renato Nobile diz acreditar que a trajetória de crescimento na receita das cooperativas agropecuárias deve se manter em 2018. Porém, sinalizando certa cautela, o superintendente da OCB não arrisca uma estimativa.
 
Ele destaca, de um lado, o bom desempenho da soja, com crescimento da safra em meio a preços elevados, em função da quebra da safra argentina. Mas vê motivos de preocupação para o milho de segunda safra por causa do clima em algumas regiões produtoras, especialmente no sul e sudeste.
 
“A expectativa é de crescimento da receita, mas tem a contingência de cada safra. A soja foi positiva, uma realidade importante para o país. Mas uma apreensão na segunda safra de milho com o clima. Valoriza o grão para o produtor, mas tem impacto na cadeia toda”, analisa Nobile.
 
O desempenho das cooperativas também dependerá das condições a serem anunciadas no Plano Safra para o ciclo 2018/2019, que começa oficialmente no dia primeiro de julho. O superintendente da OCB acredita que o governo deve pelo menos manter o volume de recursos da safra atual.
 
Mas dá como praticamente certa a redução das taxas dos programas de financiamento, que ficariam mais próximas da Selic, os juros básicos da economia, hoje em 6,5% ao ano. Segundo Nobile, o setor cooperativo sugeriu um corte médio de 3 pontos percentuais nas principais linhas. Mas o que se sinaliza até agora é uma redução de apenas 2 pontos.
 
“Estamos fazendo a nossa defesa da equalização dos juros. Parece haver uma boa vontade e é compreensível a situação econômica do país. Mas a importância e o resultado que dá o agronegócio é o argumento que temos”, diz ele.
 
Entre os 13 setores da economia onde o sistema cooperativista está inserido no Brasil, a agropecuária é o mais representativo. Das 6,65 mil cooperativas contabilizadas pela OCB, 1,55 mil estão na produção rural, com mais de um milhão de associados.

Leia Também

STF deve julgar ação de demarcação de terras indígenas no dia 30
Repercussão geral
STF deve julgar ação de demarcação de terras indígenas no dia 30
Fim dos Conflitos
Câmara aprova projeto que regulamenta demarcação de terras indígenas
Aprovado o mérito na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o substitutivo ao PL 490/2007 aguarda análise dos destaques para seguir ao Plenário
Notícias
Cai diferença entre valor da arroba e carne no atacado
Com mercado do boi gordo em banho-maria, estabilidade nos preços da arroba é mantida
Análise
Com mercado do boi gordo em banho-maria, estabilidade nos preços da arroba é mantida