Menu
Busca terça, 27 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
28ºmax
22ºmin
Notícias

Conab reafirma tendência de aumento na produção de feijão

06 novembro 2009 - 00h00Por FAEG

A Conab divulgou na manhã desta quinta-feira (05) seu segundo levantamento de safra para 2009/10. O relatório volta a indicar menores áreas com feijão de primeira safra em praticamente todos os Estados da região Centro-Sul, a exceção de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Nestes dois Estados, o plantio deverá crescer, respectivamente, 18% e 33%, ressaltando que a área no Mato Grosso do Sul é bastante pequena, em torno de 4 mil hectares nesta época do ano. Por outro lado, a área deverá recuar cerca de 11% em Goiás, 5% em Minas Gerais, 10% no Paraná e 7% em Santa Catarina. No Rio Grande do Sul, o levantamento sinaliza a possibilidade de uma redução de 1% a até um crescimento de 3% no plantio. No ano passado, foram semeados 911 mil hectares na região Centro-Sul. A Conab projeta um plantio entre 854 (-6%) a 887 mil hectares (- 3%) neste ano. A queda é, sem dúvida, modesta, mesmo diante dos baixos preços enfrentados pelos produtores durante a maior parte de 2009.

O fato é que condições climáticas satisfatórias poderão favorecer produtividades um pouco melhores nesta nova safra em algumas regiões, o que implicaria em uma colheita nacional ligeiramente maior do que a última safra. Considerando uma produtividade média de 23,6 sacos por hectare na região Centro-Sul (+10%), o órgão sinaliza a colheita na primeira safra podendo alcançar entre 1,208 a 1,253 milhões de toneladas, contra 1,176 milhões de toneladas colhidas em 2008/09. Para Goiás, ao contrário, o órgão projeta uma produtividade média menor de 30,7 sacas por hectare (-13%) e a próxima colheita entre 91 a 94 mil toneladas, contra 119 mil toneladas em 2009. O maior aumento absoluto de colheita poderá acontecer no Paraná, onde a safra é sinalizada em média 80 mil toneladas mais elevada. A produção no Paraná (455 mil tonelada) poderá corresponder a 37% de toda a produção da região Centro-Sul. Pelo menos por enquanto, as condições climáticas são favoráveis aos referidos números de colheita por parte da Conab, mas certamente muito pouco favoráveis ao futuro próximo do mercado do feijão.

A análise de mercado do feijão é produzida diariamente pela Gerência de Estudos Técnicos e Econômicos da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (FAEG).

Gerente de Estudos Técnicos e Econômicos: Edson Alves Novaes
Autor do artigo e responsável técnico: Adriano Vendeth