Menu
Busca sábado, 12 de junho de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
25ºmax
14ºmin
Notícias

Com mais 17 estações, toda área produtiva de MS passa a ter cobertura agrometeorológica

22 janeiro 2018 - 00h00Por Semagro MS

Com a instalação de mais 17 estações meteorológicas, toda a área territorial de Mato Grosso do Sul ocupada com agricultura e pecuária passa a ter informações agrometeorológicas confiáveis. Essas informações vão substanciar medidas técnicas para otimizar as áreas ocupadas, adequar cultivares com as melhores épocas de plantio e aproveitar gradativamente as áreas inativas promovendo o incremento da produtividade agrícola.

 
As novas 17 estações meteorológicas estão sendo instaladas pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Produção e Agricultura Familiar) nos municípios de Ribas do Rio Pardo, Bonito, Bandeirantes, Camapuã, Pedro Gomes, Nova Alvorada do Sul, Itaporã, Fátima do Sul, Caarapó, Laguna Carapã, Aral Moreira, Iguatemi, Angélica, Nova Andradina, Santa Rita do Pardo, Brasilândia e Selvíria. Elas se somam a outras 28 estações do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) já em operação no Estado e formam uma ampla rede que cobre praticamente todo o território sul-mato-grossense.
 
O projeto é coordenado pelo engenheiro agrônomo da Semagro Carlos Henrique Lemos Lopes. Nesta quinta-feira (18), sua equipe concluiu a instalação da estação meteorológica de Ribas do Rio Pardo e na segunda-feira (22) será entregue a estação de Bonito. A previsão é que até o fim de junho todas as 17 estações estejam instaladas e em pleno funcionamento.
 
Clima & Tempo
Cada nova estação é equipada com barômetro (aparelho que mede a pressão atmosférica), higrômetro de ar e solo (umidade), anemômetro sônico (força e direção dos ventos), pluviômetro (quantidade de chuva), piranômetro (radiação solar), para-raios e um computador que vai transmitir todas essas informações diretamente ao Instituto Nacional de Meteorologia. Após serem formatadas, essas informações retornam ao CEMTEC/MS (Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul), órgão ligado à Semagro, onde os técnicos vão transformá-las em boletins com dados precisos sobre o clima e o tempo de cada região.
 
As novas estações meteorológicas vão auxiliar na gestão de tempo e clima em quase 100% do território sul-mato-grossense, assegura a coordenadora do CEMTEC/MS, Franciane Rodrigues. “Isso significa que teremos informações mais precisas para repassar à população e, inclusive, acompanhar com mais precisão as situações de alertas emitidos pelos órgãos de Defesa Civil e Imasul”. Além disso, as novas estações possuem sensor de solo (as do INMET não possuem esse equipamento) que permitem o monitoramento agroclimático das regiões produtoras.
 
O titular da Semagro, Jaime Verruck enfatiza que, com essas informações, será possível a consolidação de pequenas e médias propriedades rurais, pois as informações agrometeorológicas permitem a adoção de medidas que resultem no máximo de rendimento da lavoura com a otimização do uso de recursos naturais nas atividades complementares, e a ocupação do solo por maiores períodos.
 
“Havia a necessidade de conhecermos as limitações climáticas de cada região para orientar o produtor a aplicar as tecnologias adequadas que possibilitem aumento da produção e da produtividade, otimizando a relação de custo e benefício. Por isso a redução de riscos climáticos é fundamental”, explica Verruck.
 
Convênios
Os recursos para compra dos equipamentos (R$ 1,8 milhão) vieram do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento); o governo do Estado investe mais R$ 554 mil do Fundems (Fundo de Desenvolvimento das Culturas do Milho e da Soja de Mato Grosso do Sul) para custear a instalação e a compra de alguns equipamentos restantes. O trabalho de instalação é feita por técnicos da Senagro, com supervisão de técnicos do Inmet.