Menu
Busca quinta, 13 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
34ºmax
21ºmin
Notícias

CNA lança indicador de custos da produção agropecuária e de preços do mercado

11 fevereiro 2010 - 00h00Por Agência Brasil.

O produtor rural e o consumidor contam, a partir de agora, com uma ferramenta básica para acompanhar os custos da produção agrícola e pecuária para poder comparar com os preços que o intermediário paga ao produtor para retirar os cereais de sua fazenda ou quanto o frigorífico oferece pelo gado para abate. São os novos indicadores agropecuários, lançados nesta quarta-feira (10) pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Os novos indicadores também servem para medir a inflação de preços entre a produção e a comercialização final. A tabela com os custos da produção e de mercado será renovada sempre por volta do dia 15 de cada mês, no endereço eletrônico www.canaldoprodutor.com.br.

A ideia da CNA é mostrar à sociedade que muitas vezes o custo de produção fica acima dos preços oferecidos pelo mercado e dos preços mínimos de garantia estabelecidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), diz a presidente da entidade, Kátia Abreu. “E sempre muito abaixo dos preços cobrados do consumidor final.”

Para ela, o programa de governo para garantir a renda tem que garantir também a produção. “Pelo menos quanto aos produtos que compõem a cesta básica”, como arroz, feijão, milho e óleo de soja.”

A primeira série de dados traz os preços praticados em janeiro para soja, arroz, milho, feijão, gado de corte e leite, em áreas específicas de produção. Casos de arroz, em quatro microrregiões do Rio Grande do Sul, e de feijão, em Unaí, Minas Gerais. Os outros produtos abrangem regiões de diferentes estados do Centro-Sul. Todos com custo de produção, preço pago ao produtor e a variação percentual de ganho ou perda.

A pesquisa de custos da produção agropecuária é resultado de uma parceria da CNA com o Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Agronegócio da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), e com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Universidade Federal de Lavras (MG).

Essas instituições estão em contato permanente com todas as agências ligadas à agropecuária nos estados e com os ministérios que têm alguma atuação ou ingerência no setor e trabalham com o propósito de ampliar os indicadores para outros produtos como café, fibras e frutas – o que deve ocorrer até agosto próximo –, além de perseguir o aperfeiçoamento das tabelas de custos.

De acordo com Kátia Abreu, a CNA fornecerá ao produtor rural um índice de referência sobre o custo real da produção, com o objetivo de garantir maior segurança no gerenciamento da atividade agrícola e pecuária. E será também mais um elemento para ajudar o governo a formular políticas públicas para o setor, assinalou.