Menu
Busca sexta, 07 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
30ºmax
18ºmin
Notícias

Cientistas brasileiros irão sequenciar o código genético do Guzerá

29 abril 2010 - 00h00Por Embrapa.

Após um ano da divulgação do mapeamento do genoma bovino, realizado pela comunidade científica internacional, o Brasil iniciará os estudos para realizar o sequenciamento genético de animais das raças zebuínas. O lançamento do programa será feito no dia três de maio, em Uberaba, às 10h, durante a abertura da Expozebu – uma das maiores exposições pecuárias do mundo.

O seqüenciamento genético bovino, noticiado em abril de 2009 pela revista Science, envolveu cerca de 300 cientistas de todo o mundo (inclusive pesquisadores brasileiros). O animal objeto de estudo foi uma vaca da raça Hereford.
 
A Hereford pertence à subespécie Bos taurus taurus, de origem européia, assim como as raças Holandesa, Jersey e Pardo Suíço. Os animais das Raças Guzerá e Gir são da subespécie Bos taurus indicus.
 
“De origem indiana, esta segunda subespécie tem grande importância econômica para o Brasil e países de clima tropical”, diz o chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Gado de Leite, Rui Verneque. “São animais rústicos e se adequam melhor às regiões de temperaturas mais elevadas”, explica Verneque.
 
Dada a estas características, a comunidade cientifica nacional acredita ser muito importante conhecer o sequenciamento genético do gado zebuíno. “Precisamos descobrir quais as diferenças genéticas entre as raças européias e indianas para subsidiarmos melhor os estudos de melhoramento genético dos rebanhos Gir e Guzerá”, afirma Marcos Vinícius G. B. da Silva, pesquisador da Embrapa Gado de Leite e coordenador dos estudos. Segundo o pesquisador, “o estudo possibilitará o desenvolvimento de ferramentas específicas para a seleção de animais zebuínos.
 
A maioria do gado bovino no Brasil é formada pelo Zebu (Nelore, Gir, Guzerá e Indubrasil) e seus mestiços com raças européias como o Girolando. “O fato de fazermos o lançamento das pesquisas de sequenciamento genético na Expozebu é uma forma de ratificarmos a importância que as raças zebuínas têm para a economia brasileira”, conclui Marcos Vinícius.
 
O pesquisador diz ainda que este é um dos primeiros esforços  mundiais para o sequenciamento do genoma de zebuínos leiteiros.  O trabalho é coordenado pela Embrapa Gado de Leite e envolve a Universidade Federal de Minas Gerais; a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais; os Pólos de Excelência do Leite e Genética Bovina; Instituto René Rachou e associações de criadores.