Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
23º
SUSTENTABILIDADE

Brasil pode gerar receita de até US$ 120 bi em créditos de carbono até 2030

Isso é o que mostra a atualização do estudo "Oportunidades para o Brasil em Mercados de Carbono", pesquisa desenvolvida pela ICC Brasil

07 outubro 2022 - 11h20Por Canal Rural

O potencial de geração de receitas com créditos de carbono para o Brasil, até 2030, subiu de US$ 100 bilhões para até US$ 120 bilhões. Isso é o que mostra a atualização do estudo “Oportunidades para o Brasil em Mercados de Carbono“, pesquisa foi desenvolvida pela Câmara de Comércio Internacional (ICC Brasil), organização empresarial, em parceria com a WayCarbon, maior consultoria estratégica com foco exclusivo em sustentabilidade e mudança do clima na América Latina.

O levantamento tem o objetivo de atualizar o mercado sobre o desenvolvimento da pauta após COP26, trazendo ainda um mapeamento inédito do ecossistema nacional do segmento e recomendações para os agentes econômicos no Brasil. Conforme o estudo, em 2021, Brasil foi responsável por 12% da oferta mundial de créditos para o mercado voluntário, superando a participação de 2019 (3%) e o cenário mais otimista (10%) utilizado no estudo do ano passado para 2030.

“Tal desempenho é reflexo do aumento do número de créditos emitidos de soluções baseadas na natureza e da influência da regulamentação do Artigo 6 do Acordo de Paris na COP26.” A pesquisa mostra, ainda, que, considerando o preço de um cenário otimista de US$ 100 por tonelada, a capacidade de atendimento do Brasil pode alcançar de 22,3% a 48,7% da demanda global por créditos do mercado voluntário, que deve chegar entre 1,5 e 2 gigatoneladas de CO2 e no fim da década.

O estudo traz recomendações ao governo brasileiro e ao setor privado, com o objetivo de fortalecer o mercado nacional e apoiar seu processo de amadurecimento. No caso do governo, entre outras orientações, a pesquisa diz que “é fundamental que o Brasil, no seu papel regulador, desenvolva e divulgue um planejamento específico para cumprir sua NDC (Contribuição Nacionalmente Determinada) e os compromissos de zerar o desmatamento ilegal e de redução de metano”.

No caso da iniciativa privada, é preciso “apoiar a simplificação dos processos de transação dos créditos no mercado voluntário, bem como estabelecer parcerias com outros atores do mercado na intenção de fortalecer e cooperar para o amadurecimento e retorno justo ao proprietário de terras e comunidades locais envolvidas no projeto”, entre outras recomendações.