Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
40ºmax
23ºmin
Notícias

Brasil atinge valor recorde de exportações do agronegócio

21 março 2011 - 11h54Por Globo Rural
Brasil atinge valor recorde de exportações do agronegócio

O Brasil alcançou valor recorde nas exportações do agronegócio nos últimos 12 meses. Segundo dados da balança comercial do agronegócio, divulgada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o número chegou a US$ 78,439 bilhões entre março de 2010 e fevereiro de 2011, 19,8% acima do exportado no mesmo período do ano passado, de US$ 65,46 bilhões. O saldo acumulado neste intervalo foi de US$ 63,812.

Pela primeira vez, chegou-se ao valor de US$ 5,333 bilhões em fevereiro na série histórica iniciada em 1991. Em relação ao mesmo mês do ano anterior, houve aumento de 21% nas vendas externas. O resultado foi um superávit de US$ 4,05 bilhões na balança comercial do agronegócio.

O setor de carnes foi o principal item das exportações, com registro de vendas de US$ 1,146 bilhão. O bom desempenho pode ser atribuído ao aumento de preço nas carnes bovina, suína e de frango – estas duas últimas registraram acréscimo da quantidade vendida.

Os setores responsáveis pelo aumento recorde do mês foram cereais, farinhas e preparações, que subiram 182,4%; café, com incremento de 72,8%; carnes, com 17,8%; complexo sucroalcooleiro (etanol e açúcar), 14,7%; e produtos florestais, com 10,5%.

O complexo soja (grão, farelo e óleo) registrou um aumento de 186,5% nas vendas do óleo, apesar do decréscimo registrado no valor exportado em relação ao grão e ao farelo, que devem subir consideravelmente a partir do próximo mês, quando aumentam os embarques.

A União Europeia é uma das regiões para as quais o Brasil exporta mais expressivamente. Nos últimos 12 meses, houve aumento de 8,8% em vendas para a comunidade que engloba 27 países. Na Ásia, houve amento de 6,4% e no Oriente Médio, de 57,8%. Outro ganho significativo refere-se à África, que subiu 47% no valor e ultrapassou o bloco econômico do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta), que aumentou 21,3%.