Menu
Busca terça, 11 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
33ºmax
20ºmin
Notícias

Assocon cria Escola de Capacitação em Confinamento

04 fevereiro 2010 - 00h00Por Agrolink

A busca constante por produtividade, eficiência e qualidade nos confinamentos de bovinos de corte tem exigido dos pecuaristas preocupação crescente com a formação dos funcionários que atuam no dia-dia da produção. Afinal, são eles que manejam o gado, cuidam da alimentação, imunização, pesagem, avaliações periódicas etc, e qualquer falha nesses procedimentos pode representar a diferença entre o lucro e o prejuízo na hora da venda do gado para o abate.

Atenta a essa necessidade, a Associação Nacional dos Confinadores (Assocon) criou a Escola de Capacitação em Confinamento Assocon, voltada ao treinamento teórico e prático dos funcionários dos confinamentos. Com o apoio do Sindicato Rural de Rio Verde, que dará todo o suporte para que as aulas aconteçam, o primeiro curso, com duração de uma semana, já tem data marcada: 22 a 27 de Fevereiro, em Rio Verde (GO).

A Fazenda Santa Fé, associada à Assocon, oferecerá suas instalações de confinamento, em Santa Helena de Goiás, há 25 km de Rio Verde, para as aulas práticas. Juan Lebrón, diretor executivo da Assocon, explica que o projeto, pioneiro no País, tem como propósito básico estimular a qualificação e capacitação profissional de peões, capatazes, vaqueiros, gerentes de fazendas e demais envolvidos na pecuária intensiva, além de aproximar os diferentes agentes que trabalham para o crescimento do confinamento no País.

“Os alunos da Escola de Capacitação em Confinamento Assocon terão contato direto com as técnicas e tecnologias mais atuais para o desenvolvimento da pecuária e ainda poderão conhecer em detalhes as últimas novidades da indústria em termos de saúde, nutrição, genética, gestão, insumos e maquinários de uso exclusivo dos sistemas de pecuária de corte intensiva (confinamento). É fundamental que os profissionais que atuam no contato diário com o rebanho saibam que exercem um papel de extrema importância na pecuária, determinante para o sucesso da atividade”, avalia Juan.

Todo o investimento feito pelo empresário (pecuarista) na compra de boi magro, alimentação, medicamentos, maquinários e outras tarefas no confinamento depende fundamentalmente da mão-de-obra para se transformar em boi gordo (carne). “Além de ressaltar essa função essencial dos funcionários, o curso também tem função pedagógica, pois pretende oferecer diferenciais na formação desses profissionais. Queremos formar pessoas conscientes do seu papel e da sua importância para a pecuária de corte”, pontua o diretor executivo da Assocon.

Programação – A 1ª edição da Escola de Capacitação em Confinamento Assocon será realizada em seis dias, incluindo conteúdo teórico e aulas práticas. A programação engloba as disciplinas de manejo nutricional, manejo sanitário, manuseio de maquinário e equipamentos agrícolas, identificação animal, custos e praticas de bem estar animal. A escolha do conteúdo e a administração das aulas estão a cargo do corpo técnico da Assocon e de profissionais das empresas parceiras da iniciativa como, Tortuga (nutrição animal), Pfizer e Intervet Schering-Plough (saúde animal), Beckhauser (instalações e boas práticas de manejo), Casale (máquinas e equipamentos) e Allflex (identificação animal).

As aulas serão dinâmicas e com muita informação, de modo que as diferentes abordagens e temas tratados se complementam para os alunos terem visão global do confinamento.

As turmas terão o mínimo de 15 e o máximo de 30 alunos. As inscrições são gratuitas para funcionários de associados da Assocon. Para o aluno independente, a Assocon também preparou uma condição especial, que inclui apenas a cobrança da taxa de administração de R$ 100 pelas aulas e almoço.

Mais informações sobre os cursos e demais serviços oferecido pela Assocon e para saber como tornar-se associado: www.assocon.com.br ou (11) 3093-2752. As informações são de assessoria de imprensa.