Menu
Busca quinta, 01 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
41ºmax
24ºmin
Notícias

Assentamentos rurais no Pantanal recebem água contaminada

09 junho 2011 - 12h15Por MS Noticias
Assentamentos rurais no Pantanal recebem água contaminada

Água no assentamento São Gabriel, totalmente imprópria para consumo
De todas as 43 fontes de abastecimento de água dos assentamentos rurais da região de Corumbá e Ladário, em Mato Grosso do Sul, 40 estão contaminadas por coliformes fecais e totalmente impróprias para consumo. Os exames foram realizados em maio deste ano, atendendo recomendação do Ministério Público Federal (MPF), que encontrou indícios de contaminação nos poços de um assentamento.

A análise foi realizada pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) da Secretaria Estadual de Saúde nos assentamentos rurais das duas cidades. Os resultados revelaram presença da bactéria Escherichia coli, que é indicativo de contaminação da água com fezes humanas. Uma variante agressiva dessa bactéria já matou 23 pessoas na Europa este ano.

A água de cisternas, poços, minas, cavaletes, caixas d'água, reservatórios e até lagos dos assentamentos Tamarineiro I e II, Tamarineiro Sul, Taquaral, Jacadigo, Paiolzinho, São Gabriel e Urucum foi analisada. Ao todo, foram 43 fontes das quais apenas três têm água própria para consumo humano. As outras 40 fontes estão contaminadas por coliformes que indicam contaminação por fezes. Com a ingestão de água contaminada, as famílias desses oito assentamentos estão seriamente expostas a inúmeras doenças.

Em 2008, uma amostra coletada no assentamento Tamarineiro II e analisada pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) já apresentava nível elevado de bactérias. A análise considerou que a água põe em risco a saúde dos moradores, sendo imprópria para consumo humano.

Problemas relacionados à água são recorrentes nos assentamentos da região de Corumbá e Ladário.

Em 2009, o sistema de abastecimento de água do assentamento São Gabriel em Corumbá, construído com verba federal de 400 mil reais, parou de funcionar completamente tendo apenas dois anos de existência. 300 famílias do assentamento passaram a ser abastecidas de forma precária por caminhões-pipa e um pequeno brejo existente no local. Até hoje a maior parte dos assentados não recebe água dessa rede de abastecimento. Em 2010, 58 famílias ficaram sem água durante quase um mês por conta de problemas no poço de um setor do assentamento Tamarineiro II-Sul.

A Procuradoria da República em Corumbá estuda medidas a serem adotadas para solução desse grave problema de saúde pública.