Menu
Busca quinta, 25 de abril de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
28º
PESQUISA

Agromantas de lã ovina são apresentadas em fórum da cadeia produtiva da lã

O evento abordou diversos temas, como certificação da lã gaúcha e comercialização e mercado da lã, além de uma exposição e feira com produtos feitos com a matéria-prima

28 fevereiro 2024 - 09h26Por Embrapa

Bagé sediou, nesta terça-feira, o 1º Fórum de Inovação da Cadeia Produtiva da Lã, realizado na Universidade da Região da Campanha (Urcamp). O evento abordou diversos temas, como certificação da lã gaúcha e comercialização e mercado da lã, além de uma exposição e feira com produtos feitos com a matéria-prima. Entre as pautas, também foi apresentada a agromanta de lã ovina, trabalho que está em desenvolvimento a partir de parceria entre a Embrapa Pecuária Sul e a empresa Cimabra (Indústria e Comércio de Manufaturados de Fibras).

Durante o evento, a pesquisadora da Embrapa Pecuária Sul, Magda Benavides, apresentou a palestra “Desenvolvimento: o caso da manta de lã”. As agromantas foram idealizadas como um insumo para o desenvolvimento de árvores frutíferas, podendo trazer ganhos em produtividade, sustentabilidade e diminuição de custos na atividade, além de dar uma destinação para tipos de lã de ovelha que atualmente não têm demanda no mercado. O projeto conta com a participação de pesquisadores da Embrapa Clima Temperado e da Embrapa Uva e Vinho.

As agromantas cobrem o solo no entorno das plantas frutíferas podendo proporcionar diversos benefícios para a fruticultura. Entre eles, a pesquisadora destaca a capacidade da lã de ovelha de absorção da água da chuva com liberação lenta para as mudas das árvores no solo. As agromantas também podem ser utilizadas para o bloqueio da luz solar no entorno da muda, mantendo a umidade e inibindo o desenvolvimento de plantas indesejadas, possibilitando a diminuição no uso de insumos químicos e de mão-de-obra para a capina. Por ser biodegradável, tendo 16% de nitrogênio e 3% de enxofre na sua composição, também pode ser usada como fertilizante.

No projeto as agromantas serão testadas inicialmente em mudas de oliveiras e de nogueira-pecã, espécies bastante produzidas no Rio Grande do Sul. Porém, os materiais têm potencial de uso em outras espécies arbóreas e na olericultura.

O 1º Fórum de Inovação da Cadeia Produtiva da Lã foi promovido pela Urcamp, Fundação Maronna, Corede Campanha e Fapergs e integrou a finalização do projeto Arranjo Produtivo Local - APL da Lã Ovina: governança, desenvolvimento, operações, gestão e comercialização, aprovado pelo Corede Campanha junto a Fapergs.