Menu
Busca sexta, 07 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
30ºmax
18ºmin
Notícias

Abrifrigo divulga nota sobre fusões no mercado da carne

24 setembro 2009 - 00h00Por MS Notícias

A Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) divulgou nota hoje sobre o posicionamento da entidade diante das modificações que ocorreram no setor com a aquisição da Bertin pelo JBS e as operações da Marfrig. Confira:


NOTA PARA A IMPRENSA

Tendo em vista diversas manifestações que temos recebido sobre as fusões Friboi-Bertin, Marfrig-Margen-Mercosul, cabe-nos ponderar os seguintes pontos :

1. A ABRAFRIGO tem sistematicamente se posicionado, na mídia, contrária a concentração industrial no ramo de frigoríficos, pelas razões que todos conhecem ;
2. Não concordamos com a injeção de recursos públicos nas empresas, via BNDES, os quais têm sido a fonte maior da concentração industrial no nosso segmento;
3. Todavia, não nos restam outras alternativas que possam evitar estas fusões e incorporações, senão a de continuarmos esclarecendo a opinião pública, os poderes constituídos da nação e também as entidades de representação dos pecuaristas, sobre as prováveis conseqüências deste processo;
4. Reconhecemos, porém, que o país eventualmente poderá se beneficiar, uma vez que estas empresas terão maior poder de competitividade nos mercados externos, colaborando para a nossa balança comercial;
5. Entretanto, a ABRAFRIGO espera que no dia-a-dia dos mercados do boi e da carne possa haver concorrência leal e salutar entre todas as empresas, e que, sob nenhuma hipótese, vamos tolerar quaisquer indícios de manipulação de preços e distorção do padrão de comportamento comercial que deve haver nestes mercados;
6. A entidade deposita um crédito de confiança nestas fusões, mas esclarece que não hesitará em tomar as medidas administrativas, legais e judiciais caso algum mínimo sinal de irregularidade no campo comercial seja detectado por quaisquer das nossas entidades e empresas filiadas.
7. Continuaremos monitorando permanentemente estes mercados, em todas as regiões do país, na esperança de que continuem sendo objeto das relações normais de oferta e procura agregadas, com os preços sendo definidos como resultantes destas duas variáveis, sem artifícios e sem manipulações.

Curitiba, 24 de setembro de 2.009


Péricles P. Salazar
Presidente