Menu
Busca quinta, 17 de junho de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
26ºmax
15ºmin
Expogrande

Rebanho Assistência Veterinária oferece curso de manejo em mangueiro na 80ª Expogrande

28 março 2018 - 12h08Por Assessoria de Imprensa Acrissul | Expogrande

A empresa Rebanho Assistência Veterinária, em parceria com a companhia global líder em saúde animal Zoetis, vai oferecer, dias 13 e 14 de abril, o 1º Curso de Manejo Racional em Mangueiro, na 80ª Expogrande, que será realizada pela Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), de 5 a 22 de abril no Parque de Exposições Laucídio Coelho, em Campo Grande (MS). 

O curso será dividido em duas fases, sendo a primeira no dia 13 de abril, das 8 às 16 noras, na sede da empresa em Campo Grande, enquanto a segunda fase será no dia 14 de abril, das 8 às 16 horas, na Fazenda Bálsamo. O curral de manejo compreende a área cercada onde os bovinos chegam e ficam à espera de entrarem no local onde serão contidos para realização dos determinados procedimentos.
 
Esse curral pode ser cercado por diferentes tipos de material, sendo os mais comumente empregados às réguas de madeira presas a esteios de madeira ou de cordoalhas presas a esteios de concreto. O mais importante do curral de manejo é que a cerca seja alta e resistente o suficiente para a contenção dos animais, que ofereça uma área mínima de conforto para o gado.
 
A construção do curral de manejo pode ser feita, utilizando-se materiais bastante variados, inclusive combinados. Na escolha, deve-se levar em conta dois fatores importantes: currais de cordoalha apresentam menor custo de fabricação, e sua manutenção é mais prática e barata; curral de madeira apresenta uma vida útil maior; construção inadequada do curral de manejo diminui a produtividade do rebanho, dificulta o manejo e expõe as pessoas e os bovinos a maiores riscos de acidentes.
 
Ele deve permitir a realização de apartação, marcação, descorna, vacinação, castração, pequenas cirurgias, exames ginecológicos, inseminação artificial, pesagem, embarque e desembarque do gado. Geralmente, os currais de manejo têm as seguintes estruturas: seringa, tronco coletivo, tronco, porteiras de apartação, balança e embarcadouro.
 
Em algumas propriedades, dependendo do tipo de manejo adotado, podem ser encontradas ainda estruturas como banheiro carrapaticida, sistema de abastecimento de água, depósitos de materiais e medicamentos, escritório, entre outros. O curral deve estar localizado em um terreno plano, que permita rápido escoamento de água da chuva e de limpeza. Os solos mais arenosos possuem essas propriedades, sendo, portanto, aconselháveis. Em solos argilosos, é recomendado o calçamento do curral.
 
O curral não deve ficar a grandes distâncias dos pastos, por isso, em propriedades muito grandes, serão necessários mais de um curral, distribuídos de forma a oferecer facilidade de acesso. As estradas que levam a essa construção devem estar em bom estado, durante todo o ano.
 
A existência de água e energia elétrica nas instalações do curral é fundamental. Os troncos coletivos podem ser confeccionados ou comprados prontos, sendo encontrados em formatos retos ou em curva. Sua função é encaminhar os animais ao tronco individual e balança. Também são usados para serviços que podem ser feitos em grupo, como vacinação e vermifugação.
 
O tronco deve conter uma passarela lateral, em toda sua extensão, para que o funcionário possa trabalhar e acompanhar os animais de dentro da área de serviço, vendo-os e acessando-os por cima da divisória. É recomendável que o tronco contenha no máximo 8 a 10 animais, considerando 1,5 m/cabeça. Outra importante atividade feita no curral é a apartação, ou seja, a separação dos animais em diferentes categorias. As porteiras de apartação deverão ter abertura de 1,8 a 2 m.
 
Um equipamento encontrado normalmente nos currais é a balança. Ela permite controlar o peso e o desenvolvimento dos animais, sendo fabricadas por empresas especializadas. A montagem da balança e sua operação são orientações oferecidas aos compradores pelos próprios fabricantes.
 
O embarcadouro é usado no embarque e desembarque dos bovinos nos veículos de transporte. Deve apresentar uma rampa de comprimento entre 3 a 3,50 m com 0, 75 a 1,20 m de largura, altura de 1,80 a 2 m (mesmo que o tronco coletivo) e diferença de nível de 0,90 a 1,10 m (altura da carroceria do caminhão).
 
Serviço - Mais informações pelo telefone (67) 3383-0867