Menu
Busca sábado, 15 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
35ºmax
22ºmin
Expogrande

Governador assegura apoio a produtores para abertura de mercado da carne

22 março 2010 - 00h00Por Governo do Estado

Produtores rurais que participaram do 23° Encontro de Tecnologias para Pecuária de Corte, na Capital, receberam do governador André Puccinelli o compromisso de que o governo vai manter as ações visando a conquistar mercados para a carne sul-mato-grossense. André afirmou que a produção tem qualidade e suporte do poder público para conquistar novos compradores. “Precisamos ter produtos de qualidade e temos; o produtor precisa do apoio do governo, e isso ele tem, e sempre terá”, afirmou.

A busca por conquista e recuperação de mercados consumidores está na pauta do governo desde 2007, através de intensas articulações dentro e fora do Brasil. “Precisamos abrir mercados, e não temos feito outra coisa, se não irmos em busca desses mercados, no sentido de abrir fronteiras, de eliminar barreiras, como essa última, do Chile, para vendermos nossa carne para aquele País”, ressaltou o governador.

O cuidado com a sanidade da pecuária e a modernização dos procedimentos de controle são algumas das principais fontes de suporte do governo aos produtores. Como forma de facilitar ainda mais a vida do pecuarista, o governo deverá extinguir a obrigatoriedade de assinatura de um médico veterinário para a  homologação da GTA Eletrônica. Conforme a secretária de Produção, Tereza Cristina Correa da Costa Dias, o Estado quer implantar a guia online - que pode ser emitida pelo produtor sem a necessidade de comparecer à Iagro –, mas a eficácia dessa modernização requer o fim dessa etapa burocrática da homologação.

“O médico veterinário não vai perder o poder fiscalizador, ao contrário, terá mais tempo para a fiscalização em campo, para realmente fiscalizar aquele produtor que estiver omitindo informação”, explica Tereza. “O produtor é o responsável pelas informações na guia que emite. O veterinário deve dispor de tempo para trabalhar em campo, para fazer a parte de inteligência, saber avaliar os riscos, e não simplesmente colocar um carimbo”, reforça.

Outra meta do governo do Estado é fazer com que as propriedades da Zona de Alta Vigilância sejam vistas da mesma maneira que as das outras regiões, com total controle sanitário, mas sem uma denominação que possa comprometer a conquista de mercados. “Mato Grosso do Sul tem feito esforços muito grandes desde 2007 para que saísse da condição de bloqueio e tivesse, através da vacinação, o status de área livre de aftosa com vacinação. Agora queremos mais, queremos a liberação da ZAV na fronteira e queremos iniciar os trabalhos para sermos futuramente área livre sem vacinação”, disse o governador.

A secretária Tereza Cristina Dias explica que nenhuma ação de controle será alterada na ZAV, e que o que se pretende é retirar somente a caracterização negativa. “A ZAV foi criada por dois anos. Queremos agora retirar a 'pecha'. Não vão ser tiradas as ações que são importantes, que dão segurança para a sanidade, para o Estado. Isso não vai acabar”, reforça. A intenção, ela destaca, é facilitar algumas condições, considerando que hoje há total controle, com a informatização da Iagro, com a fiscalização rigorosa que é feita, com a vacinação oficial. “Hoje nós temos todo o controle sobre o sistema, então queremos que aquela região volte a ter o mesmo status que o restante do Estado”.