Menu
Busca domingo, 27 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
39ºmax
25ºmin
Agricultura

Ministro da Agricultura reafirma não haver corrupção em sua pasta

02 agosto 2011 - 11h54Por canal rural

O ministro da agricultura, Wagner Rossi, reafirmou nesta segunda, dia 1º, em Brasília, não haver qualquer tipo de corrupção dentro de sua pasta. Em entrevista coletiva, ele garantiu que as denúncias feitas pelo ex-diretor financeiro da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Oscar Jucá Neto não procedem. Jucá acusou Rossi de ser o comandante de um esquema de arrecadação de dinheiro.

O irmão do senador Romero Jucá também afirmou que dirigentes da Conab estariam tentando elevar em R$ 5 milhões o valor a ser pago à empresa de armazenagem de grãos Caramuru Alimentos, que cobra uma dívida na Justiça. O excedente seria dividido entre autoridades do Ministério.

– Não há a menor hipótese de alguém aumentar a dívida, que alguém esteja tentando aumentar essa dívida e, muito menos, pra dividir com qualquer autoridade aqui – afirmou o ministro.

Jucá Neto também denunciou a venda de um terreno da Conab por um quarto do valor de mercado, a fim de beneficiar o comprador, que seria amigo do senador Gim Argelo, do PTB.

– Isso é uma acusação gratuita de quem não tem credibilidade para falar de um assunto que não conhece. Ele não conhece a Conab, ele não conhece o Ministério, foi diretor por 15 dias e aprontou a ponto de nós termos que demiti-lo – se defendeu o ministro.

O ex-diretor financeiro da Conab foi exonerado depois da denúncia de que teria feito um pagamento milionário a uma empresa fantasma.

Segundo Wagner Rossi, Oscar Jucá Neto foi alertado por funcionários da Conab de que o pagamento seria irregular. Mesmo assim, o ex-diretor teria entrado no sistema e realizado, ele próprio, o pagamento à empresa suspeita, utilizando recursos que seriam destinados ao Programa de Garantia de Preços Mínimos ao agricultor. O ministério já solicitou o bloqueio dos recursos, para que o dinheiro possa ser recuperado.

– Nós vamos até a última instância pra recuperar esses R$ 8 milhões. E vamos revisar os contratos para evitar que isso não se repita – declarou.

Wagner Rossi apresentou aos jornalistas documentos que, segundo ele, desmentem as acusações feitas pelo ex-diretor financeiro da Conab. Já o presidente da Conab, Evangevaldo Moreira dos Santos, divulgou uma nota à imprensa, dizendo que as acusações são "mentirosas".