Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
34ºmax
24ºmin
Agricultura

Cooperativas movimentam mercado da agricultura em MS e já somam 100 mil cooperados

25 junho 2012 - 00h59Por Assessoria

 As cooperativas de Mato Grosso do Sul se movimentam como empreendimentos que oferecem embalo às cifras da agricultura local com transformações positivas para a rentabilidade e organização dos produtores rurais. De acordo com os dados divulgados no último senso do Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras no Mato Grosso do Sul – OCB/MS, 50% do milho exportado de MS, 40% da soja e 80% do algodão são administrados por cooperativas, que no setor agropecuário já são 51. O Estado soma atualmente 100 mil cooperados, que juntos, empregam média de 4,5 mil pessoas, movimentando o mercado do agronegócio, crédito, infraestrutura e saúde.

“As cooperativas contribuem e impulsionam o setor de grãos no MS. Elas trazem valor agregado ao produto, auxiliam na movimentação de capital e na elaboração de estratégias inteligentes direcionadas ao produtor”, afirma Almir Dalpasquale, presidente da Associação dos Produtores de Soja de MS – Aprosoja/MS, produtor de grãos e também integrante de três cooperativas no Estado, a Cooperativa Agropecuária de São Gabriel do Oeste (Cooasgo), a Cooperativa Agro Industrial do Centro-Oeste do Brasil (Coabra) e a Cooperativa de Agronegócios de São Gabriel do Oeste (Cooperoeste), que juntas somam um capital social integralizado equivalente a R$ 22,7 milhões.

Para Eduardo Riedel, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS - Famasul, cooperar é a melhor tática para o rendimento financeiro e intelectual do produtor. "O cooperativismo é um aliado indissociável da agricultura. A participação nesses sistemas fortalece o produtor em todos os estágios de sua atividade, agregando não só capital, mas o conhecimento e a experiência que só a integração pode trazer", diz Riedel.

A geração de empregos no campo das cooperativas em MS cresce cerca de 10% no período de um ano, e contribuem significativamente com os tributos fiscais dos municípios, do Estado e do país. Em 2010, por exemplo, foi registrado o valor de R$ 170 milhões de contribuição de tributos das cooperativas, um crescimento de 29% em relação aos números de 2009.
 
Apesar da movimentação financeira e no crescente número de cooperados, MS registrou a queda de 2,5 no número de cooperativas no último senso da OCB/MS. “Esse é um movimento natural, diminuem o número de empresas e elas se difundem para terem maior capacidade financeira e agregar valor”, explica Celso Ramos Regis, presidente da OCB/MS.

Entre 2009 e 2010, as cooperativas de MS investiram R$ 476 mil em capacitação profissional. “Quando há uma organização administrando a movimentação da agricultura, os meios de se chegar à profissionalização com qualidade são mais viáveis, uma vez o cooperativismo exige uma capacidade de gestão detalhada”, finaliza Ademar Silva Júnior, presidente do conselho administrativo do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar/MS.