Menu
Busca quinta, 24 de junho de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
31ºmax
19ºmin
Notícias

Sindicato dos Caminhoneiros anuncia o fim da greve em Mato Grosso do Sul

30 maio 2018 - 13h46Por Midiamax

Mesmo com muitos caminhoneiros ainda mobilizados nos pontos de concentração, o Sindicam-MS (Sindicato dos Caminhoneiros de Mato Grosso do Sul) anunciou oficialmente o fim da greve da categoria em Mato Grosso do Sul. O presidente do sindicato, Roberto Sinai, diz que a categoria se reuniu e decidiu acatar a proposta do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), de negociar redução no ICMS somente após o fim da greve.

A proposta feita pelo Governo Estadual de redução da alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do diesel de 17% para 12% foi bem vista pelos sindicalizados, e os caminhoneiros concordaram em voltar ao trabalho nesta quarta-feira (30), segundo Sinai.
 
Em Mato Grosso do Sul, o movimento dos caminhoneiros é dividido. Enquanto o sindicato envolve empresas transportadoras e funcionários, também há um movimento de trabalhadores autônomos. Entre os caminhoneiros autônomos, a posição era de desconfiança frente à proposta do Governo de MS e a categoria iria discutir o fim da greve na manhã desta quarta-feira (30), no posto Caravaggio.
 
Mesmo assim, de acordo com o presidente do Sindicam-MS, a proposta foi aceita entre as transportadoras e funcionários, que acreditam no cumprimento da oferta feita pelo governador. “Foi uma reunião com diversos segmentos da sociedade, o governo vai cumprir. Existe uma seriedade por parte do Governo do Estado. Todos foram convidados, tinha muitos representantes da categoria que compareceram”, diz Sinai.
 
A princípio, as reivindicações incluíam a redução do valor dos combustíveis em 30%, mas mesmo que todos os pedidos não tenham sido atendidos, o presidente do sindicato afirma que o balanço da greve é positivo. “Ficou bem clara a força da categoria, isso é muito positivo. Além disso, conseguimos a redução do ICMS de 17% para 12%, além de 30% dos fretes da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) e 10% de redução no preço do diesel pela Petrobras”.