Menu
Busca terça, 22 de junho de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
28ºmax
16ºmin
Notícias

Rússia pode retomar importação de carne ainda em maio

18 maio 2018 - 22h49Por DBO Rural

A retomada das importações de carnes bovina e suína pela Rússia pode acontecer nas próximas semanas, diz Luís Rangel, secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). “A expectativa era que fosse nessa semana ou na próxima, mas era uma expectativa, depende muito deles. E ainda tem um componente político, com nomeação de ministro essa semana lá, mas a perspectiva é boa”.

A Rússia suspendeu as compras em novembro de 2017 alegando detecção de ractopamina (promotor de crescimento autorizado para suínos no Brasil, mas proibido na Rússia). Em encontro com membros do Serviço Federal de Supervisão Veterinária e Fitossanitária da Rússia (Rosselkhoznadzor) há algumas semanas, Rangel diz que todas as argumentações foram apresentadas, inclusive de que a substância é proibida para bovinos no país. “Esclarecemos tudo, apresentamos documentos e agora aguardamos ansiosos pela retomada”.
 
Estados Unidos - Uma missão técnica brasileira foi aos Estados Unidos na semana passada para debater o que o país ainda precisa, em termos de informação, sobre a carne processada do Brasil. “A negociação foi ótima, mas falta a entrega de alguns documentos formais. Esclarecemos 95%, porém faltam 5% de algumas comprovações que foram ditas lá, mas precisam ser entregues. Isso deve acontecer essa semana”, explica Rangel. Segundo ele, isso deve facilitar as conversas para reabertura de proteína bovina in natura.
 
Em relação à carne fresca, o secretário diz que as medidas já tomadas, como a alteração na composição da vacina (com a retirada da saponina para 2019), e no toalete, com o retalho do processo, em tese já são suficientes. “Mas existe uma percepção do FSIS [Serviço de Inspeção e Segurança Alimentar dos EUA] de trabalhar as carnes in natura e processada em conjunto, então estamos oferecendo todos os argumentos”. Depois de todos os documentos entregues, os ministros da Agricultura dos dois países devem se reunir para finalizar as negociações.