Menu
Busca quinta, 23 de setembro de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
35ºmax
20ºmin
Mercado Pecuário

Semana de estabilidade no preço do boi gordo na maior parte das regiões pecuárias do País

Demanda interna pela carne bovina segue patinando, enquanto exportações ganham maior ritmo na terceira semana do mês de julho

21 julho 2021 - 12h20Por Portal DBO
Semana de estabilidade no preço do boi gordo na maior parte das regiões pecuárias do País

Nesta terça-feira, 20 de julho, o mercado físico de boiada gorda apresentou novamente estabilidade na maioria das praças brasileiras.

Foi o caso das regiões pecuárias de São Paulo, onde o boi gordo, a vaca e a novilha continuam valendo R$ 315/@, R$ 294/@ e R$ 308/@, respectivamente, (preços brutos e a prazo), segundo dados apurados pela Scot Consultoria.

A melhor saída de gado confinado (primeiro giro), diz a Scot, é suficiente para manter as escalas de abate das indústrias paulistas relativamente confortáveis – atualmente atendem de 7 a 8 dias.

Segundo a IHS Markit, as indústrias frigoríficas brasileiras que abastecem o mercado internacional de carne bovina operam com escalas mais apertadas, entre 5 e 7 dias, devido à demanda mais aquecida neste início do segundo semestre.

De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), o volume médio diário de carne bovina in natura exportada até a terceira semana de julho alcançou 89,23 mil toneladas, com uma média diária de 7,43 mil toneladas/dia, avanço de 1,04% em relação à média de julho/20 e 0,9% inferior à média diária do mês passado (junho/21).

No mercado futuro do boi gordo, há registro de variações positivas significativas em quase todos os vencimentos da B3, informa a IHS Markit.

Os papéis para entrega  em outubro e novembro deste ano (pico da entressafra) alcançaram R$ 324,55 e R$ 327,95, respectivamente.

Giro pelas demais praças – No Norte e Nordeste há aparente equilíbrio nas intenções de negócios entre os agentes do setor pecuário, acarretando escalas de abate bastante confortáveis, ao redor de 10 dias, relata a IHS.

No Pará, pequenas altas de preços garantem maior oferta de gado vivo aos países do Oriente Médio.

Na região Sul do País, a oferta de boiadas mostra alguma reação após a chegada de nova forte frente fria.

No Paraná, apesar da maior facilidade de compra de gado, a dificuldade de escoamento de carne bovina ao exterior, em função da escassez de contêineres, paralisou a ponta compradora.

No mercado atacadista brasileiro, os preços dos principais cortes bovinos, assim como do couro e sebo industrial, permaneceram estáveis nesta terça-feira.

A demanda interna pela proteína bovina segue lenta e irregular, seguindo a expectativa do mercado, informa a IHS.

A procura por reposição segue reduzida, em função dificuldade de escoamento da proteína no varejo, acrescenta a consultoria.

A situação típica da segunda quinzena do mês, período de maior enfraquecimento do poder aquisitivo dos consumidores (devido ao distanciamento dos pagamentos dos salários, no início de cada mês), já gera relatos de sobras de mercadorias nos entrepostos, trazendo especulação baixistas aos preços dos cortes bovinos.

Cotações máximas desta terça-feira, 20 de julho, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 320/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 310/@ (à vista)
vaca a R$ 300/@ (à vista)

MS-C.Grande:

boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 298/@ (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 298/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 295/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 307/@ (prazo)
vaca a R$ 296/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 304/@ (prazo)
vaca a R$ 293/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 303/@ (à vista)
vaca a R$ 290/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 288/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 302/@ (prazo)
vaca R$ 292/@ (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 306/@ (prazo)
vaca a R$ 296/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 310/@ (à vista)
vaca a R$ 290/@ (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 312/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 308/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 284/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:

boi a R$ 340/@ (à vista)
vaca a R$ 330/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 340/@ (à vista)
vaca a R$ 330/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 295/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ 293/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 297/@ (prazo)
vaca a R$ 285/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 297/@ (prazo)
vaca a R$ 287/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 285/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 298/@ (à vista)
vaca a R$ 291/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 296/@ (prazo)
vaca a R$ 284/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 288/@ (à vista)
vaca a R$ 265/@ (à vista)