Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
34ºmax
24ºmin
Notícias

Falhas atrasam repasse de verbas para produtores atingidos pela seca no RS

16 agosto 2012 - 02h59Por CANAL RURAL

Cerca de 30 mil agricultores do Rio Grande do Sul ainda não tiveram acesso ao cartão de Emergência Rural, segundo estimativa do governo estadual. A medida, que deveria amenizar os problemas causados pela seca, deixa produtores apreensivos em alguns municípios. O motivo da demora seriam falhas na confecção dos cartões.

Um exemplo da demora é o do agricultor Bráulo Marion, do município de Segredo. Depois de perder mais de 50% do milho e do feijão na última safra, o produtor aguarda o auxilio de R$ 400,00, pedido há três meses.

— A safra já ta aí, então quanto antes receber o dinheiro é melhor. São R$ 400,00, mas ajuda — afirma o produtor. — Na mesma situação de Marion estão outros 560 agricultores de Segredo. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município, dos 629 cartões esperados, apenas 70 foram entregues. Dos 100 mil cartões previstos para todo o Estado, 15 mil ainda não foram feitos, segundo a Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo.

A preocupação dos sindicatos é que a ajuda chegue tarde demais. — Agora em agosto ainda não chegaram à maioria dos cartões e isso representa em torno de R$ 300 mil para o município. Esse valor ajuda bastante para tocar a safra e para compra no comércio — afirma o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Miguel Limberguer. Mesmo quem já recebeu o cartão enfrenta dificuldades.

Em alguns municípios, como Passo do Sobrado, no Vale do Rio Pardo, o documento chegou sem saldo. Nestes casos a Secretaria de Desenvolvimento Rural orienta os produtores a procurar o Sindicato da Categoria ou a agência do Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) do município.

O Banrisul ressaltou que faz o documento conforme a solicitação da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo e que está com a demanda em dia. A Secretaria informou que muitas cidades demoraram para encaminhar a documentação dos produtores e outras ainda não enviaram o que foi solicitado, o que acabou atrasando a entrega. A previsão é que todos os agricultores com a situação regularizada recebam o cartão estiagem em, no máximo, 15 dias.