Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
27ºmax
19ºmin
Agricultura

Minas vai implantar modelo pioneiro de território de agricultura irrigada

04 julho 2011 - 00h00Por SECRETARIA DE AGRICULTURA DE MINAS

Minas Gerais vai implantar uma modelo pioneiro de território de agricultura irrigada do país, que será criado na bacia do Rio Paranaíba, no Triângulo Mineiro. O modelo vai usar como base as 36 Unidades de Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos, já estabelecidas pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam). As diretrizes foram discutidas na etapa mineira do Fórum Nacional de Agricultura Irrigada, que reuniu cerca de 100 técnicos na quinta, dia 30, em Belo Horizonte.

Segundo o secretário-adjunto de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Paulo Romano, os territórios reúnem condições socioambientais, culturais e econômicas homogêneas, ampliando as possibilidades de soluções para os conflitos relacionados ao uso de recursos hídricos.

– Ao estabelecer o conceito de território, pretende-se estimular a gestão participativa nas questões de uso da água. E a integração com os usuários e outros órgãos é condição fundamental para alcançar a sustentabilidade na irrigação – afirma.

Ele explica ainda que a bacia do Paranaíba foi escolhida por ser uma região com tradição na agricultura irrigada, além de apresentar um alto nível de organização dos usuários.

– Cerca de 90% da cafeicultura, no município de Araguari (que pertence à bacia do Paranaíba), são conduzidos sob o sistema de irrigação. E o surgimento de conflitos é proporcional ao crescimento da demanda pela água. A função dos territórios é reunir todos os usuários numa mesa de negociação, buscando soluções sustentáveis nas regiões de cada bacia.

No fórum, também foi apresentado o panorama da agricultura irrigada no Estado e no Brasil. Minas Gerais tem amplo potencial de crescimento no uso da irrigação. O Estado possui área irrigada de 525 mil hectares, mas tem capacidade para irrigar 3 milhões de hectares, de maneira sustentável, respeitando as condições topográficas, climáticas e socioambientais, e de acordo com o uso adequado das águas para as diversas finalidades. Em nível nacional, o quadro se repete. O país possui área irrigada de aproximadamente 5 milhões de hectares, mas tem potencial de irrigar cerca de 30 milhões de hectares. Segundo o secretário nacional de Irrigação do Ministério da Integração Nacional, Ramon Flávio Rodrigues, é preciso desmistificar a ideia de que a irrigação é a vilã do meio ambiente.

– Existem duas maneiras de se aumentar a produção de alimentos. Ou aumentamos a área plantada, abrindo novas fronteiras agrícolas, ou melhoramos a produtividade das lavouras existentes por meio da irrigação –explica.

O Plano Diretor de Agricultura Irrigada de Minas Gerais foi apresentado aos participantes. O estudo pioneiro vai balizar as ações do Governo de Minas, com a criação de uma política pública voltada para o uso racional das áreas com potencial para irrigação. Para o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento, é fundamental aproveitar o potencial da irrigação como forma de atender a crescente demanda mundial por alimentos.

– Estamos trabalhando para consolidar Minas como grande celeiro do Brasil e do mundo – afirma.