Notícias

STF suspende registro de terras indígenas no MT

11 de novembro de 2013
Decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu o registro em cartório imobiliário da área demarcada como terra indígena Kayabi no Decreto Presidencial de 24 de abril de 2013. A antecipação de tutela, a ser referendada pelo plenário, foi deferida na Ação Cível Originária (ACO) 2224, de autoria do Estado de Mato Grosso, e obsta a transferência definitiva da propriedade até o julgamento final da questão.
 
– A leitura detida das razões apresentadas (pelo Estado de Mato Grosso) revela a presença dos requisitos da fumaça do bom direito e do perigo da demora – afirma Luiz Fux.
 
O político também explica que o principal fundamento do estado é o de que as terras objeto da demarcação não eram "tradicionalmente ocupadas" pelos índios Kayabi. Isso porque, segundo o estado, ao tempo da promulgação da Constituição de 1988, marco temporal fixado pelo constituinte para se reconhecer aos indígenas o direito às terras que habitam, os índios da etnia Kayabi já não mais ocupavam as terras objeto da ampliação da demarcação.
 
Segundo o ministro Fux, a pretensão do estado, em uma análise preliminar, encontra “amparo” na decisão tomada pelo Supremo quando do julgamento da demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol (PET 3388).
 
– No aludido precedente, restou assentado que as terras tradicionalmente indígenas seriam, somente, aquelas efetivamente habitadas por grupos indígenas na data da promulgação da Constituição Federal de 1988. Ausente esse requisito fundamental ao reconhecimento, em favor dos indígenas, do direito às referidas terras, surge como contrária à Carta Magna a ampliação de reserva já demarcada – afirma o ministro.
 
O ministro acrescenta que o registro em cartório da demarcação das terras e, consequentemente, a transferência da propriedade configura o “perigo na demora” da decisão, uma vez que isso “poderá gerar sérios atritos entre a comunidade indígena e aqueles que adquiriram as terras demarcadas de boa-fé”.
 
Câmara de Conciliação
Ao avaliar que havia possibilidade conciliação no caso, o ministro havia determinado o envio do processo para a Câmara de Conciliação e Arbitragem da Administração Federal no âmbito da Advocacia-Geral da União (CCAF/AGU) em setembro deste ano. Mas diante da resposta da União requerendo o prosseguimento do processo no supremo, ele proferiu a decisão liminar.

Fonte: Rural BR e STF
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Boi gordo: mercado em recuperação 30 de março de 2020 Com preços maiores sendo ofertados para a compra de boiadas, os negócios voltaram a fluir. Segundo levantamento da Scot Consultoria, na última...
CNA divulga relatório com impacto do coronavírus em cada setor do agro brasileiro 30 de março de 2020  A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) divulgou neste sábado um relatório sobre os impactos do coronavírus no agronegóc...
Laboratórios do Ministério da Agricultura serão usados para analisar testes do Coronavírus 30 de março de 2020 O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) vai disponibilizar a capacidade instalada, infraestrutura e equipes técnicas da rede d...
Produtores poderão adiar a entrega da comprovação de vacinação de febre aftosa 30 de março de 2020 Por causa da pandemia do novo Coronavírus, a Secretaria de Defesa Agropecuária do  Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)...
Mapa publica portaria com serviços essenciais para garantir funcionamento do agro e abastecimento 30 de março de 2020 O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou Portaria nº 116 nesta sexta-feira (27), no Diário Oficial da União (DOU...
MS tem 36 casos confirmados de coronavírus e outros 44 suspeitos são monitorados 30 de março de 2020 Secretaria de Estado de Saúde (SES) informa que mais cinco exames de coronavírus (Covid-19) deram positivos em Mato Grosso do Sul, subindo para 36 o...
Em MS, calendário de vacinação e plano de ação contra aftosa são mantidos 30 de março de 2020 Em Mato Grosso do Sul será mantido o calendário de vacinação contra a febre aftosa, na primeira etapa, prevista oficialmente para maio próximo, b...