Notícias

Nordeste pode ser maior exportador de animais vivos

30 de outubro de 2013
A conquista do status de livre aftosa com vacinação pode tornar a Região Nordeste a maior exportadora de gado vivo para abate nos países de destino. A previsão é do diretor do Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Guilherme Marques, que aposta no potencial da região para explorar o novo nicho de mercado e ultrapassar o Pará, que responde por mais de 90% das vendas externas de animais vivos. 
 
Marques afirmou que há duas semanas o Ministério da Agricultura deu mais um passo para o reconhecimento internacional da Região Nordeste como livre de aftosa com vacinação ao encaminhar um relatório para a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). 
 
Ele explicou que o pleito do governo brasileiro será analisado por um grupo de especialistas e caso receba parecer favorável será apreciado pelo comitê científico da OIE. Após o comitê aprovar o pleito, o passo seguinte será consultar os 178 países membros da OIE, que terão dois meses para se manifestar 
sobre o assunto. Se todas estas etapas forem superadas, a Assembleia Geral dos Delegados da OIE, em maio do próximo ano, dará o reconhecimento internacional da Região Nordeste e norte do Pará como livre da aftosa com vacinação.
 
O diretor acredita que o reconhecimento internacional permitirá a venda de animais vivos, tanto para abate imediato quanto para engorda e reprodução, para mercados como Venezuela, Egito, Líbano e Turquia. Uma das vantagens da região é a possibilidade de embarques por via marítima para esses países com redução dos gastos com frete. Segundo ele, um navio leva de 20 a 30 mil animais "meio sangue e meio gordos" que terão sua terminação na embarcação, já que passam cerca de um mês até chegarem ao destino. "Esses navios se parecem com fábricas de ração, a fim de que os animais desembarquem gordos. O preço desses animais é alto quando comparado aos dos animais de abate na região nordestina", afirmou. 
 
Marques disse que o governo tem condições de aprovar novos estabelecimentos para embarque de animais vivos, pois existe uma legislação que estabelece as diretrizes a serem cumpridas. Ele salienta que os animais ficam em situação de quarentena nestes estabelecimentos, onde é realizada uma bateria de exames conforme a exigência do importador. Após o período de quarentena, será permitido o embarque. "Sendo a zona reconhecida internacionalmente como livre de aftosa a partir de maio de 2014, só será necessário existir empresários interessados e ter oferta de matéria prima", afirmou o diretor.

Fonte: O Estado de S. Paulo
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Touro jovem é valorizado em R$ 4.650 milhões e bate recorde nacional de preço 03 de agosto de 2015 O novo recorde nacional de venda de touro da raça Nelore acaba de ser conquistado em Mato Grosso do Sul. O garrote Rem Caballero teve 10% vendido por...
Armazenamento inadequado de grãos provoca perdas de até 40% 03 de agosto de 2015 De acordo com pesquisa da Embrapa Milho e Sorgo (MG), nada menos que 15% dos grãos são perdidos por conta de um armazenamento inadequado. Insetos-pr...
Alta da Selic deve ter efeito negativo sobre frigoríficos 03 de agosto de 2015 O aumento da taxa básica de juros, anunciada nesta semana pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom/BC), deve ter um impacto negat...
Kátia Abreu trata de exportações de suínos com governador de SC 31 de julho de 2015 A ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) recebeu nesta quinta-feira (30) o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, par...
Conceito 7.7.7 é destaque na abertura oficial do Expocorte 31 de julho de 2015 Carne mais saborosa, cor mais atrativa e mais sustentabilidade. Estas são as características da produção do boi 7.7.7, conceito desenvolvido por p...
Frigoríficos se adequam à situação de oferta de boiadas e demanda por carne 31 de julho de 2015 A produção brasileira de carne bovina está se ajustando ao novo cenário de demanda este ano.Com o fechamento e paralisação de frigoríficos nos ...
Falta de oferta gera recuperação no mercado do boi gordo 31 de julho de 2015 Das trinta e uma praças cotadas pela Scot Consultoria, houve alta em seis para o boi gordo na quinta-feira (30/7). Em algumas regiões do país,...