Notícias

Produtores da região sul de MS criticam uso do Fundersul

10 de agosto de 2011

Parte dos produtores da região Sul do Estado, critica a aplicação do Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de MS (Fundersul). Segundo eles, parte das estradas vicinais estão em péssimo estado de conservação, dificultando o escoamento da safra, segundo informou o produtor rural José Boniati.

A colheita do milho está atrasada. Até a semana passada, apenas 30% das lavouras de milho tinham sido colhidas e os produtores estão preocupados, já que o estado de conservação das estradas pioram a situação. Boniati lembra que os recursos de toda a safra passada da soja não foram aplicados nas estradas em Dourados. O governo estadual desconta dos produtores R$ 0,34 por cada saca de soja e do milho R$ 0,17.

Se levar em consideração os 160 mil hectares de soja plantados em Dourados na safra passada, o governo deixou de aplicar R$ 2,7 milhões nas estradas do município. “Não é possível que todo esse dinheiro tenha sido aplicado, pois as estradas estão cada vez piores”, disse o produtor.

PESQUISA

Alguns produtores rurais acreditam que as entidades e sindicatos de produtores rurais do Estado deveriam entrar na justiça com uma ação de inconstitucionalidade contra o Fundersul. Essa é a opinião de metade dos produtores rurais pesquisados no mês de junho pela Ícone Pesquisa e Consultoria, que produziu relatório sobre a avaliação das estradas de Mato Grosso do Sul e o Fundersul.

O tributo, que existe há 11 anos, é cobrado dos produtores que negociam grãos e animais. O governo estadual capta em torno de R$ 65 milhões anuais com o Fundersul. Parte do recurso arrecadado deve ser aplicada em projetos de conservação e aberturas de estradas e construção de pontes. A pesquisa da Ícone, de caráter quantitativa, foi produzida entre os dias 6 e 14 de junho. Foram ouvidos 80 produtores do Estado. 30% dos pesquisados responderam que as estradas estão boas e 30,1% acham que elas estão ruins ou péssimas.

Isso quer dizer que não há consenso quanto ao grau de satisfação acerca da conservação das estradas em Mato Grosso do Sul. A insatisfação com o tributo cobrado dos produtores fica mais evidente quando a empresa de consultoria pergunta sobre a conservação das estradas de acesso à propriedade rural. Conforme a pesquisa, 37,6% fizeram uma avaliação positiva do estado de conservação das estradas e 45,1% dos ruralistas avaliaram como negativa a conservação.

Maioria (52,5%) respondeu que a função do Fundersul para conservar as estradas de MS é “nada importante”. Já 18,8% responderam que o Fundersul é “muito importante” para conservar a estradas e 25% acham “pouco importante” a existência do fundo.


Fonte: Dourados Agora
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Preços dos alimentos contribuíram para a queda da inflação 18 de dezembro de 2017 O comportamento dos preços dos alimentos mais uma vez contribuiu para conter a inflação, que está estimada em 2,88%, no fechamento do ano, segundo...
Mercado de reposição: aquecido de um lado, travado de outro 18 de dezembro de 2017 Por um lado, há regiões com mercado travado, com poucas negociações. Isso porque as chuvas ainda não foram suficientes para a melhoria das pastag...
Mercado do boi gordo segue firme 18 de dezembro de 2017 Algumas indústrias, as que estão com escalas de abate mais confortáveis, aproveitam o momento e testam o mercado, ofertando preços abaixo da refer...
Núcleo de Criadores de Girolando MS homenageiam Jonatan Barbosa com troféu 14 de dezembro de 2017 O presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Jonatan Pereira Barbosa, recebeu hoje das mãos de diretores do Núcleo d...
Morre Bacana da MN, destaque da bateria Nelore da CRV Lagoa 14 de dezembro de 2017 Mais um grande touro deixa o cenário pecuário em 2017. No dia 9 de dezembro morreu C8288 da MN, também conhecido como Bacana da MN. O reprodutor, q...
Categorias mais eradas movimentam o mercado de reposição de bovinos 14 de dezembro de 2017 Com as pastagens em plena recuperação, os invernistas buscam animais de categorias mais eradas para serem terminados no período das águas, realiza...
Mercado do boi gordo firme; arroba cai em Campo Grande 14 de dezembro de 2017 Com exceção das praças pecuárias de Campo Grande-MS, Norte do Tocantins e Sudeste de Rondônia, onde a cotação da arroba do boi gordo caiu na ú...


Foto: Hedio Fazan
Parte dos produtores culpam a má aplicação do Fundersul para consertar as estradas.