Notícias

Inspeção veicular reprova mais de 80% por falhas de segurança

15 de agosto de 2009

Mais de 80% dos veículos pesados (caminhões, ônibus e caminhonetes) que são submetidos à inspeção veicular reprovam por apresentar algum problema. Dentre esses, mais de 50% estão com os freios danificados. Esse índice também é grande para carros de passeio. Cerca de 65% dos veículos, geralmente com mais de cinco anos de uso, que são inspecionados reprovam pelo mesmo problema. Segundo o responsável técnico da Revisa, uma das duas empresas credenciadas pelo Inmetro no Estado para a inspeção veicular, Péricles Mainardi, são mais de 130 itens de segurança avaliados. Entre eles os primordiais, como: freios, suspensão, direção, pneus e sistema elétrico. Ele explica que a situação é preocupante. “Nos deparamos com veículos sem condições alguma de estarem transitando nas vias e rodovias.

Esse é um fato preocupante pois apresenta o descaso dos proprietários e que pode ocasionar acidentes gravíssimos”, comenta. Mesmo que a inspeção seja obrigatória, prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), Artigo 106º, são poucos os veículos que procuram as empresas de inspeção veicular para regularização e emissão do Certificado de Segurança Veicular (CSV). D

e acordo com o responsável técnico, a maioria dos casos de inspeção é para veículos adaptados para o uso do GNV (Gás Natural Veicular). “O número de procura aumenta principalmente no final de cada mês devido à data limite do licenciamento”, explica Péricles. A equipe da Revisa assegura que toda inspeção feita é sinônimo de garantia nos itens avaliados. “Por isso somos uma empresa acreditada pelo INMETRO e homologada DENATRAN”, comentam.Eles acreditam na importância da fiscalização para o cumprimento do Art.106º do CTB, que exige certificado de segurança em casos de fabricação artesanal ou de modificação do veículo. “Essa seria uma saída para a redução nos altos índices de acidentes fatais nas vias e rodovias de Mato Grosso do Sul, além é claro, de contribuir para uma sociedade menos violenta e um meio ambiente mais conservado, com menos poluição”, concluem.

Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Perigo de incêndios florestais aumenta em Mato Grosso do Sul 20 de junho de 2016 Assim como as formigas, pragas e doenças, os incêndios floretais têm sido a grande preocupação de empresas florestais e dos produtores rurais em ...
Recuperação de pastagens degradadas aumenta produtividade em até quatro vezes 20 de junho de 2016 A recuperação de pastagens degradadas é uma das quatro tecnologias produtivas propostas pelo projeto ABC Cerrado formulado com objetivo de estimula...
Mercado de reposição em queda 20 de junho de 2016 No mercado de reposição os negócios acontecem em ritmo lento. Dentre as categorias, há maior demanda por aquelas mais eradas, para rápida termina...
Acrissul promove Expo MS Rural de 5 de agosto a 5 de setembro 20 de junho de 2016 No cumprimento de seus objetivos sociais de promover mais de uma feira por ano no Parque de Exposições Laucídio Coelho e aproveitar ao máximo a in...
Em Carta Aberta, Acrissul propõe fim ao conflito indígena em MS 17 de junho de 2016 Em razão da gravidade dos últimos acontecimentos que culminaram no conflito entre indígenas e PMs em Mato Grosso do Sul, a Acrissul (Associação d...
Indicador se aproxima de R$ 100/sc e farelo, de R$ 1.500/t 17 de junho de 2016 A firme demanda mundial por soja e por farelo tem elevado com força os valores do grão e do derivado nos Estados Unidos e também no Brasil. Segundo...
Arroba do boi gordo em São Paulo se valoriza mais do que a da vaca 17 de junho de 2016 A arroba do boi gordo em São Paulo se valorizou mais do que a da vaca e a tendência é que a distância de preço entre ambas as categorias de anima...