Notícias

Inspeção veicular reprova mais de 80% por falhas de segurança

15 de agosto de 2009

Mais de 80% dos veículos pesados (caminhões, ônibus e caminhonetes) que são submetidos à inspeção veicular reprovam por apresentar algum problema. Dentre esses, mais de 50% estão com os freios danificados. Esse índice também é grande para carros de passeio. Cerca de 65% dos veículos, geralmente com mais de cinco anos de uso, que são inspecionados reprovam pelo mesmo problema. Segundo o responsável técnico da Revisa, uma das duas empresas credenciadas pelo Inmetro no Estado para a inspeção veicular, Péricles Mainardi, são mais de 130 itens de segurança avaliados. Entre eles os primordiais, como: freios, suspensão, direção, pneus e sistema elétrico. Ele explica que a situação é preocupante. “Nos deparamos com veículos sem condições alguma de estarem transitando nas vias e rodovias.

Esse é um fato preocupante pois apresenta o descaso dos proprietários e que pode ocasionar acidentes gravíssimos”, comenta. Mesmo que a inspeção seja obrigatória, prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), Artigo 106º, são poucos os veículos que procuram as empresas de inspeção veicular para regularização e emissão do Certificado de Segurança Veicular (CSV). D

e acordo com o responsável técnico, a maioria dos casos de inspeção é para veículos adaptados para o uso do GNV (Gás Natural Veicular). “O número de procura aumenta principalmente no final de cada mês devido à data limite do licenciamento”, explica Péricles. A equipe da Revisa assegura que toda inspeção feita é sinônimo de garantia nos itens avaliados. “Por isso somos uma empresa acreditada pelo INMETRO e homologada DENATRAN”, comentam.Eles acreditam na importância da fiscalização para o cumprimento do Art.106º do CTB, que exige certificado de segurança em casos de fabricação artesanal ou de modificação do veículo. “Essa seria uma saída para a redução nos altos índices de acidentes fatais nas vias e rodovias de Mato Grosso do Sul, além é claro, de contribuir para uma sociedade menos violenta e um meio ambiente mais conservado, com menos poluição”, concluem.

Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

China habilita 17 novas plantas frigoríficas brasileiras para exportação 10 de fevereiro de 2016 A Administração-Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena (AQSIQ) da China autorizou 17 novas plantas frigoríficas brasileiras a e...
Vacinação contra aftosa atinge 98,17% do rebanho na 2ª etapa de 2015 10 de fevereiro de 2016 A vacinação contra a febre aftosa atingiu um índice de cobertura de 98,17% do rebanho bovino e bubalino brasileiro no segundo semestre de 2015, de ...
Exportações do agronegócio cresceram 8,7% em volume em janeiro deste ano 10 de fevereiro de 2016 O volume das exportações brasileiras do agronegócio aumentou 8,7% em janeiro deste ano, em comparação com o mesmo mês de 2015. O número consta ...
Lentidão no mercado de reposição em Mato Grosso do Sul, mas preços estão firmes 05 de fevereiro de 2016 A proximidade do Carnaval trouxe mais lentidão às negociações no mercado de reposição em Mato Grosso do Sul. No entanto, a demanda mais cal...
Custo de produção da pecuária leiteira subiu 19,6% em relação a janeiro de 2015 04 de fevereiro de 2016 O ano começou com alta nos custos de produção da pecuária leiteira. Foi o sétimo aumento consecutivo.O Índice Scot Consultoria de Custo de Produ...
Boi gordo: Mercado em alta 04 de fevereiro de 2016 A demanda não evolui e mesmo assim os frigoríficos seguem aumentando as ofertas de compra.Além da oferta restrita de boiadas desde o começo do ano...
Boi gordo: dificuldade de compra de animais terminados e preços firmes 04 de fevereiro de 2016 Apesar da dificuldade no escoamento de carne, mesmo com o início do mês e a proximidade do Carnaval, as cotações estão firmes.Esse cenário é po...