Notícias

Inspeção veicular reprova mais de 80% por falhas de segurança

15 de agosto de 2009

Mais de 80% dos veículos pesados (caminhões, ônibus e caminhonetes) que são submetidos à inspeção veicular reprovam por apresentar algum problema. Dentre esses, mais de 50% estão com os freios danificados. Esse índice também é grande para carros de passeio. Cerca de 65% dos veículos, geralmente com mais de cinco anos de uso, que são inspecionados reprovam pelo mesmo problema. Segundo o responsável técnico da Revisa, uma das duas empresas credenciadas pelo Inmetro no Estado para a inspeção veicular, Péricles Mainardi, são mais de 130 itens de segurança avaliados. Entre eles os primordiais, como: freios, suspensão, direção, pneus e sistema elétrico. Ele explica que a situação é preocupante. “Nos deparamos com veículos sem condições alguma de estarem transitando nas vias e rodovias.

Esse é um fato preocupante pois apresenta o descaso dos proprietários e que pode ocasionar acidentes gravíssimos”, comenta. Mesmo que a inspeção seja obrigatória, prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), Artigo 106º, são poucos os veículos que procuram as empresas de inspeção veicular para regularização e emissão do Certificado de Segurança Veicular (CSV). D

e acordo com o responsável técnico, a maioria dos casos de inspeção é para veículos adaptados para o uso do GNV (Gás Natural Veicular). “O número de procura aumenta principalmente no final de cada mês devido à data limite do licenciamento”, explica Péricles. A equipe da Revisa assegura que toda inspeção feita é sinônimo de garantia nos itens avaliados. “Por isso somos uma empresa acreditada pelo INMETRO e homologada DENATRAN”, comentam.Eles acreditam na importância da fiscalização para o cumprimento do Art.106º do CTB, que exige certificado de segurança em casos de fabricação artesanal ou de modificação do veículo. “Essa seria uma saída para a redução nos altos índices de acidentes fatais nas vias e rodovias de Mato Grosso do Sul, além é claro, de contribuir para uma sociedade menos violenta e um meio ambiente mais conservado, com menos poluição”, concluem.

Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Curtumes esperam ano “bem difícil” em 2015 30 de janeiro de 2015 A indústria brasileira de couro deve enfrentar uma situação de mercado “bem difícil” em 2015. A afirmação é do presidente executivo...
Indústria pecuária da Austrália espera menor oferta nesse ano 30 de janeiro de 2015 Dois anos de abates recordes de bovinos, bem como de exportações de animais vivos, deverão trazer uma contração significativa no mercado nesse an...
Acrissul anuncia shows da Expogrande em coletiva para imprensa na 2ª feira 30 de janeiro de 2015 A Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) convida a imprensa para uma entrevista coletiva na próxima segunda-feira, dia 2 nde fev...
ICMS Ecológico deve ser rateado por 74 municípios de MS em 2015 29 de janeiro de 2015 Em 2015, o ICMS Ecológico, deve ser rateado por 74 dos 78 municípios de Mato Grosso do Sul, o equivalente a 93,6% do total, conforme previsão de um...
Engenheiro agrônomo vai assumir Secretaria de Produção de MS 29 de janeiro de 2015 O engenheiro agrônomo Fernando Mendes Lamas foi anunciado como o novo titular da Sepaf (Secretaria de Estado de Produção e Agricultura Fa...
Crotalária reduz em até 80% população de nematoides, afirma nematologista 29 de janeiro de 2015 A Crotalária é uma ótima ferramenta para o controle de nematoides. Quem conclui é a nematologista da Fundação MT (Fundação de Apoio à Pe...
Setor produtivo discute utilização de defensivos para pequenas culturas 29 de janeiro de 2015 Discutir e reunir propostas de produtores rurais para a liberação e uso de defensivos específicos para segmentos como fruticultura, hortaliças e f...