Notícias

Inspeção veicular reprova mais de 80% por falhas de segurança

15 de agosto de 2009

Mais de 80% dos veículos pesados (caminhões, ônibus e caminhonetes) que são submetidos à inspeção veicular reprovam por apresentar algum problema. Dentre esses, mais de 50% estão com os freios danificados. Esse índice também é grande para carros de passeio. Cerca de 65% dos veículos, geralmente com mais de cinco anos de uso, que são inspecionados reprovam pelo mesmo problema. Segundo o responsável técnico da Revisa, uma das duas empresas credenciadas pelo Inmetro no Estado para a inspeção veicular, Péricles Mainardi, são mais de 130 itens de segurança avaliados. Entre eles os primordiais, como: freios, suspensão, direção, pneus e sistema elétrico. Ele explica que a situação é preocupante. “Nos deparamos com veículos sem condições alguma de estarem transitando nas vias e rodovias.

Esse é um fato preocupante pois apresenta o descaso dos proprietários e que pode ocasionar acidentes gravíssimos”, comenta. Mesmo que a inspeção seja obrigatória, prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), Artigo 106º, são poucos os veículos que procuram as empresas de inspeção veicular para regularização e emissão do Certificado de Segurança Veicular (CSV). D

e acordo com o responsável técnico, a maioria dos casos de inspeção é para veículos adaptados para o uso do GNV (Gás Natural Veicular). “O número de procura aumenta principalmente no final de cada mês devido à data limite do licenciamento”, explica Péricles. A equipe da Revisa assegura que toda inspeção feita é sinônimo de garantia nos itens avaliados. “Por isso somos uma empresa acreditada pelo INMETRO e homologada DENATRAN”, comentam.Eles acreditam na importância da fiscalização para o cumprimento do Art.106º do CTB, que exige certificado de segurança em casos de fabricação artesanal ou de modificação do veículo. “Essa seria uma saída para a redução nos altos índices de acidentes fatais nas vias e rodovias de Mato Grosso do Sul, além é claro, de contribuir para uma sociedade menos violenta e um meio ambiente mais conservado, com menos poluição”, concluem.

Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Artigo: "Deixaram a porteira aberta", de Pedro Puttini Mendes 31 de agosto de 2015 Pedro Puttini Mendes Com grande pesar assistimos aos recentes acontecimentos de um conflito já instaurado em nosso estado de Mato Grosso do Sul,...
“Está dente por dente, olho por olho”, alerta presidente da Acrissul 31 de agosto de 2015 A situação das invasões de propriedades rurais por indígenas na região de Antônio João se intensificou neste sábado, 29, e estariam fora de co...
Governador defende que União indenize terras nuas e benfeitorias 31 de agosto de 2015 Ao ser questionado sobre o conflito entre indígenas e fazendeiros, em Antônio João, distante, a 402 quilômetros de Campo Grande, o governador do E...
Fazendeiros acusam guerrilheiros do Paraguai de treinar indígenas 31 de agosto de 2015 Guerrilheiros ligados ao Exército do Povo Paraguaio, o EPP, organização composta por radicais de esquerda e que prega o domínio do poder pela revo...
Governador discute com PF e Exército ação em conflito de Antônio João 31 de agosto de 2015 O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) faz reunião na manhã desta segunda-feira para discutir o conflito fundiário no município de Antônio João, ...
DOF e Força Nacional escoltam produtores em fazendas retomadas 30 de agosto de 2015 Os proprietários conseguiram reaver ontem (29), a posse de duas das seis fazendas ocupadas por índios Kaiowá Guarani. O conflito entre fazendeiros ...
Militares do exército chegam a área de conflito e estudam local para base 30 de agosto de 2015 Equipe do Exército do 10º Regimento de Cavalaria Mecanizada de Bela Vista já está na região de Antônio João, distante 279 quilômetros de C...