Notícias

Inspeção veicular reprova mais de 80% por falhas de segurança

15 de agosto de 2009

Mais de 80% dos veículos pesados (caminhões, ônibus e caminhonetes) que são submetidos à inspeção veicular reprovam por apresentar algum problema. Dentre esses, mais de 50% estão com os freios danificados. Esse índice também é grande para carros de passeio. Cerca de 65% dos veículos, geralmente com mais de cinco anos de uso, que são inspecionados reprovam pelo mesmo problema. Segundo o responsável técnico da Revisa, uma das duas empresas credenciadas pelo Inmetro no Estado para a inspeção veicular, Péricles Mainardi, são mais de 130 itens de segurança avaliados. Entre eles os primordiais, como: freios, suspensão, direção, pneus e sistema elétrico. Ele explica que a situação é preocupante. “Nos deparamos com veículos sem condições alguma de estarem transitando nas vias e rodovias.

Esse é um fato preocupante pois apresenta o descaso dos proprietários e que pode ocasionar acidentes gravíssimos”, comenta. Mesmo que a inspeção seja obrigatória, prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), Artigo 106º, são poucos os veículos que procuram as empresas de inspeção veicular para regularização e emissão do Certificado de Segurança Veicular (CSV). D

e acordo com o responsável técnico, a maioria dos casos de inspeção é para veículos adaptados para o uso do GNV (Gás Natural Veicular). “O número de procura aumenta principalmente no final de cada mês devido à data limite do licenciamento”, explica Péricles. A equipe da Revisa assegura que toda inspeção feita é sinônimo de garantia nos itens avaliados. “Por isso somos uma empresa acreditada pelo INMETRO e homologada DENATRAN”, comentam.Eles acreditam na importância da fiscalização para o cumprimento do Art.106º do CTB, que exige certificado de segurança em casos de fabricação artesanal ou de modificação do veículo. “Essa seria uma saída para a redução nos altos índices de acidentes fatais nas vias e rodovias de Mato Grosso do Sul, além é claro, de contribuir para uma sociedade menos violenta e um meio ambiente mais conservado, com menos poluição”, concluem.

Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Boi: Com preços abaixo da referência, negócios ocorrem pontualmente 23 de março de 2017 O mercado do boi gordo continuou com alguns frigoríficos pequenos reduzindo compras, enquanto os grandes fazem apenas compras pontuais. Os níveis de...
Frigoríficos de carne bovina entram em compasso de espera, diz Abrafrigo 23 de março de 2017 Embora não exista nenhuma indicação de envolvimento de frigoríficos de carne bovina que distribuem o produto in natura nas investigações da Poli...
Colheita da safra de soja ultrapassa 90% da área no Estado, segundo Aprosoja/MS 23 de março de 2017 Ao menos sete municípios de Mato Grosso do Sul já concluíram a colheita da safra de soja 2016/2017. Em balanço divulgado nesta quarta-feira (22) p...
Produtores de aves e suínos deverão arcar com prejuízos deixados pela Operação Carne Fraca 23 de março de 2017 Ênio Marques, sócio da Agrosolution Consultoria e ex-Secretário de Defesa Agropecuária, avalia que as medidas tomadas pós-deflagração da Carne ...
Carne Fraca: de 21 frigoríficos investigados, só dois produzem carne bovina 23 de março de 2017 Ao não fazer distinção, num primeiro momento, do tipo de carne que era alvo de investigação, a divulgação feita pela Polícia Federal acabou le...
Bom momento para o leite em MS; Preços em alta 23 de março de 2017 Após dois anos seguidos em quedas, 2017 iniciou em alta no mercado de leite em Mato Grosso do Sul. O mês de janeiro, com volume de 22,5 mil litros, ...
Expogrande terá sessão da Câmara Municipal 22 de março de 2017 No dia 05 de abril, a Câmara Municipal de Campo Grande realizará uma sessão da Câmara Participativa durante a programação da 79ª Expogrande...