Notícias

Inspeção veicular reprova mais de 80% por falhas de segurança

15 de agosto de 2009

Mais de 80% dos veículos pesados (caminhões, ônibus e caminhonetes) que são submetidos à inspeção veicular reprovam por apresentar algum problema. Dentre esses, mais de 50% estão com os freios danificados. Esse índice também é grande para carros de passeio. Cerca de 65% dos veículos, geralmente com mais de cinco anos de uso, que são inspecionados reprovam pelo mesmo problema. Segundo o responsável técnico da Revisa, uma das duas empresas credenciadas pelo Inmetro no Estado para a inspeção veicular, Péricles Mainardi, são mais de 130 itens de segurança avaliados. Entre eles os primordiais, como: freios, suspensão, direção, pneus e sistema elétrico. Ele explica que a situação é preocupante. “Nos deparamos com veículos sem condições alguma de estarem transitando nas vias e rodovias.

Esse é um fato preocupante pois apresenta o descaso dos proprietários e que pode ocasionar acidentes gravíssimos”, comenta. Mesmo que a inspeção seja obrigatória, prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), Artigo 106º, são poucos os veículos que procuram as empresas de inspeção veicular para regularização e emissão do Certificado de Segurança Veicular (CSV). D

e acordo com o responsável técnico, a maioria dos casos de inspeção é para veículos adaptados para o uso do GNV (Gás Natural Veicular). “O número de procura aumenta principalmente no final de cada mês devido à data limite do licenciamento”, explica Péricles. A equipe da Revisa assegura que toda inspeção feita é sinônimo de garantia nos itens avaliados. “Por isso somos uma empresa acreditada pelo INMETRO e homologada DENATRAN”, comentam.Eles acreditam na importância da fiscalização para o cumprimento do Art.106º do CTB, que exige certificado de segurança em casos de fabricação artesanal ou de modificação do veículo. “Essa seria uma saída para a redução nos altos índices de acidentes fatais nas vias e rodovias de Mato Grosso do Sul, além é claro, de contribuir para uma sociedade menos violenta e um meio ambiente mais conservado, com menos poluição”, concluem.

Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Peculiaridades de MS são inseridas em propostas da CNA para Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018 21 de fevereiro de 2017 O workshop desta segunda-feira (20), conduzido pelo presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito...
Com baixo consumo, preço da carne bovina cai 7% em Campo Grande 21 de fevereiro de 2017 Queda na arroba do boi além do consumo ainda desaquecido e migração das famílias para outras opções de proteína mais baratas, como o frango e c...
Safras de milho e soja da Argentina têm boas condições após chuvas, dizem analistas 21 de fevereiro de 2017 Chuvas nas principais regiões produtoras de grãos da Argentina na última semana favoreceram as safras de soja e milho 2016/17 do país, que estão ...
Oferta de fêmeas aumenta e ajuda a pressionar cotações da arroba em MS 21 de fevereiro de 2017 No Mato Grosso do Sul o mercado do boi gordo está bastante ofertado, promovendo recuos expressivos nos preços.A gestora do departamento econômico d...
Mapa disponibiliza relatório de subvenção ao prêmio do seguro rural 21 de fevereiro de 2017 O detalhamento da execução do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PRS), em 2016, com orçamento de R$ 400 milhões, 41,8% acima do d...
Na volta do feriado nos EUA, soja opera alta nesta 3ª com suporte de chuvas na Argentina 21 de fevereiro de 2017 O mercado da soja na Bolsa de Chicago voltou do feriado nos EUA atuando em campo positivo nesta terça-feira (21). Por volta de 7h10 (horário de Bras...
Piso salarial do trabalhador rural de MS será de R$ 1.036 a partir de março 21 de fevereiro de 2017 A partir do dia 1º de março, o piso salarial do trabalhador rural de Mato Grosso do Sul será de R$ 1.036, com vigência  até 28 de fevere...