Notícias

Inspeção veicular reprova mais de 80% por falhas de segurança

15 de agosto de 2009

Mais de 80% dos veículos pesados (caminhões, ônibus e caminhonetes) que são submetidos à inspeção veicular reprovam por apresentar algum problema. Dentre esses, mais de 50% estão com os freios danificados. Esse índice também é grande para carros de passeio. Cerca de 65% dos veículos, geralmente com mais de cinco anos de uso, que são inspecionados reprovam pelo mesmo problema. Segundo o responsável técnico da Revisa, uma das duas empresas credenciadas pelo Inmetro no Estado para a inspeção veicular, Péricles Mainardi, são mais de 130 itens de segurança avaliados. Entre eles os primordiais, como: freios, suspensão, direção, pneus e sistema elétrico. Ele explica que a situação é preocupante. “Nos deparamos com veículos sem condições alguma de estarem transitando nas vias e rodovias.

Esse é um fato preocupante pois apresenta o descaso dos proprietários e que pode ocasionar acidentes gravíssimos”, comenta. Mesmo que a inspeção seja obrigatória, prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), Artigo 106º, são poucos os veículos que procuram as empresas de inspeção veicular para regularização e emissão do Certificado de Segurança Veicular (CSV). D

e acordo com o responsável técnico, a maioria dos casos de inspeção é para veículos adaptados para o uso do GNV (Gás Natural Veicular). “O número de procura aumenta principalmente no final de cada mês devido à data limite do licenciamento”, explica Péricles. A equipe da Revisa assegura que toda inspeção feita é sinônimo de garantia nos itens avaliados. “Por isso somos uma empresa acreditada pelo INMETRO e homologada DENATRAN”, comentam.Eles acreditam na importância da fiscalização para o cumprimento do Art.106º do CTB, que exige certificado de segurança em casos de fabricação artesanal ou de modificação do veículo. “Essa seria uma saída para a redução nos altos índices de acidentes fatais nas vias e rodovias de Mato Grosso do Sul, além é claro, de contribuir para uma sociedade menos violenta e um meio ambiente mais conservado, com menos poluição”, concluem.

Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Exportações de carne devem crescer em 2017 28 de novembro de 2016 Após frustrar expectativa dos frigoríficos em 2016, as exportações brasileiras de carne bovina devem registrar um melhor desempenho no próximo ...
Virada de mês traz boas expectativas para os preços da arroba do boi 28 de novembro de 2016 Os negócios com a arroba do boi gordo em São Paulo continuam travados, mas a tendência de redução na oferta de animais confinados pode benefici...
Maggi: Brasil será livre de aftosa com vacinação em 2018 28 de novembro de 2016 O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou em um vídeo divulgado pelo governo federal que o Brasil receberá em maio de 2018 o certificado de...
Preço do milho alcança o menor patamar do ano 28 de novembro de 2016 As cotações do milho seguem em queda e já registram os menores patamares deste ano na maioria das regiões acompanhadas pelo Cepea. A pressão ai...
Fazendo conexão entre o campo e a cidade, premiação do Agrinho reúne mais de 650 pessoas 28 de novembro de 2016 Emoção, alegria e festa. Assim foi a cerimônia de premiação do Agrinho 2016 – programa de maior responsabilidade social do Senar/MS –...
Agrinho 2016: Alunos, educadores e escolas serão premiados na última etapa do programa em MS 24 de novembro de 2016 Depois de um ano de aprendizado, dentro e fora da sala de aula, agora é o momento de coroar o desenvolvimento obtido  com a última etapa do A...
Consumo não melhora e preços da arroba seguem pressionados 24 de novembro de 2016 Mercado parado, poucos negócios e pouco ímpeto dos compradores.O movimento que mais se vê é de baixa, completamente desalinhado ao sazonal para no...