Notícias

Setor de leite espera retomada da demanda em 2020

16 de janeiro de 2020

A melhora no consumo doméstico – impulsionada pela ainda incipiente retomada da economia – e as exportações de lácteos devem dar sustentação aos preços do leite ao produtor brasileiro no primeiro semestre deste ano.  Segundo especialistas, a manutenção do dólar em níveis mais altos e as cotações firmes no mercado internacional devem estimular as vendas externas de lácteos a países como China e Egito, beneficiando a cadeia produtiva.

Rafael Ribeiro, analista da Scot Consultoria, afirma que a expectativa é de recuperação do consumo interno de lácteos neste ano, o que é um alento para o produtor e para a indústria. No entanto, acrescenta, os custos de produção em alta devem seguir pesando nas contas dos pecuaristas. Os custos têm subido em função principalmente da valorização do milho.
 
Ao mesmo tempo que favorece as exportações de lácteos, o dólar mais valorizado em relação ao real deve pôr um freio às importações desses produtos, avalia o  chefe-geral da Embrapa Gado de Leite,  Paulo Martins. “O dólar continuará acima de R$ 4 porque mudou de patamar, e isso reduz as importações”, diz.
 
Roberto Jank Junior, vice-presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Leite B, prevê um ano estável no setor no país. “Na situação atual, não temos excesso de produção. O produtor não está estimulado, especialmente porque os custos de produção estão muito altos. Isso me leva a crer que teremos um 2020 de preços estáveis, sem excessos de produção”, avalia.
 
O dirigente espera a volta do crescimento do consumo de derivados de leite, que tiveram as vendas afetadas desde o começo da crise. “O que caiu muito nos últimos cinco anos foi o consumo de queijos, iogurte. Com a retomada da economia, com certeza, voltam a ser consumidos”, prevê.
 
O mercado foi favorável durante o primeiro semestre de 2019 para os produtores brasileiros. Na segunda metade do ano, porém, a alta da ração num cenário de maior estabilidade do preço do leite pressionou os produtores.  O clima também afetou a oferta. “O clima adverso, com chuvas, acabou segurando a produção do leite”, diz Ribeiro, da Scot.

Fonte: Revista Globo Rural
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Quarta de tempo parcialmente nublado em Mato Grosso do Sul 19 de fevereiro de 2020 A meteorologia prevê quarta-feira (19.02) de tempo firme. O céu em Mato Grosso do Sul deve ficar parcialmente nublado a nublado, e terá pancadas de...
Governo define estratégias para prevenir e combater incêndios florestais em MS 19 de fevereiro de 2020 O Governo do Estado definiu estratégias de prevenção e combate a incêndios florestais em Mato Grosso do Sul ao longo do ano de 2020. Entre elas es...
Embarques de carne bovina continuam aquecidos neste mês de fevereiro 19 de fevereiro de 2020 As exportações de carne bovina in natura referentes aos dez primeiros dias úteis de fevereiro totalizaram 61,18 mil toneladas, com receita de US$ 2...
Mercado de reposição com viés altista 19 de fevereiro de 2020 Na média de todos os estados e categorias de machos e fêmeas aneloradas pesquisados pela Scot Consultoria, as cotações tiveram valorização de 1,...
Campo Grande sediará em junho o II Congresso Mundial de ILPF 19 de fevereiro de 2020 Pesquisadores, professores universitários, estudantes e técnicos já podem submeter seus trabalhos para o II Congresso Mundial sobre Sistemas de Int...
Tereza Cristina defende a realização simultânea das reformas tributária e administrativa 19 de fevereiro de 2020 A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) defendeu nesta quarta-feira (19) que as reformas tributária e administrativa seja...
Acrissul avalia promover Expogrande em dois turnos 19 de fevereiro de 2020 A Acrissul já está dando sequência aos preparativos para a realização da edição de número oitenta e dois da Expogrande. A associação avalia ...


Foto: Reprodução
A expectativa é de recuperação do consumo interno de lácteos neste ano