Notícias

Pecuarista precisa planejar agora como vai alimentar o rebanho na seca para não perder dinheiro

08 de novembro de 2019

O próximo período de seca terá início em seis meses, mas o planejamento precisa começar já. Para não faltar comida aos animais na época de estiagem, muitas decisões devem ser tomadas no início da estação chuvosa. Preparando-se com antecedência, o pecuarista tem condições de enfrentar contratempos e minimizar os riscos do negócio.

De acordo com a pesquisadora Patrícia Menezes, da Embrapa Pecuária Sudeste, de São Carlos (SP), deve-se projetar o rebanho futuro, estimar a produção de forragem e identificar quais alternativas tecnológicas são viáveis para atender a demanda de alimento para o gado o ano todo.
 
Para ter ideia do rebanho futuro, o produtor pode utilizar dados históricos ou projetar mês a mês como um fluxo de caixa. Para isso, ele precisa prever, principalmente, entradas e saídas de animais. “Como entra gado? comprando ou com nascimento de bezerros. Como sai? vendendo ou com a morte de animais. Se o pecuarista fizer toque, ele sabe quantas vacas estão prenhas. Se fez estação de monta, sabe que haverá nascimentos em determinados meses. A época de compra e venda, precisa ser programada. Se ele tiver ideia de quantos morrem, pode acrescentar esse número nos cálculos”, explica a pesquisadora.
 
De acordo com Patrícia, mês a mês, ele faz a soma das entradas de gado e diminui as saídas. Assim, projeta o rebanho futuro e a alimentação necessária para o ano.
 
De posse das informações sobre demanda por comida, o pecuarista precisa verificar se aquilo que ele produz é suficiente para alimentar o gado ao longo do ano. Se não for, é preciso buscar alternativas para ajustar a capacidade de suporte da fazenda ao tamanho do rebanho.
 
São várias alternativas para equilibrar a oferta e a demanda de alimentos, como vedação de pasto, produção de silagem, plantação de cana, cultivo de espécies forrageiras de clima temperado, venda de animais e compra de alimentos. Tudo isto depende da infraestrutura e da região onde está localizada a propriedade.
 
Para vedação do pasto são recomendados capins que perdem a qualidade mais lentamente, como as braquiárias. A área deve ser vedada no terço final do período chuvoso para garantir alimentação adequada durante os meses de seca.
 
A produção de silagem, feno ou cana-de-açúcar pode ser uma opção viável, dependendo da região e do nível tecnológico do pecuarista. “É preciso analisar a infraestrutura da fazenda. Por exemplo, quando você veda o pasto é interessante associar à suplementação proteica. Para isso, é necessário disponibilizar cochos no pasto. Pode-se adaptar com alternativas baratas, como cortar algum galão de plástico de 200 litros”, destaca a pesquisadora.
 
O consórcio com leguminosa também é uma possibilidade. O guandu BRS Mandarim é uma boa escolha para integrar à pastagem, já que o gado consome o guandu na época seca, quando a planta floresce e aparecem as primeiras vagens.  
 
A sobressemeadura com azevém e aveia tem bom potencial de produção de forragem na época fria. Mas essa é uma alternativa para áreas irrigadas ou em regiões de inverno chuvoso, já que essas forrageiras são de clima temperado e precisam de umidade para o desenvolvimento. Ainda, a fertilidade do solo é um fator importante, porque as forrageiras de inverno são bastante exigentes.
 
Patrícia Menezes alerta que para todas as opções recomendadas é preciso que o pecuarista planeje agora. “Quando você não faz o planejamento, você corre riscos. A ajuda de um técnico contribui para escolher o melhor caminho. A opção viável é a que o produtor tenha lucro. Se o gado passa fome, ele perde dinheiro”, ressalta.

Fonte: Embrapa
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Sexta-feira com pancadas de chuva e máxima de 35°C em Mato Grosso do Sul 06 de dezembro de 2019 O tempo em Mato Grosso do Sul nesta sexta-feira (06.12) deve permanecer instável. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de cé...
Decreto regulamenta atualização de cadastro obrigatório para produtores rurais 06 de dezembro de 2019 O Governo do Estado publicou nesta quinta-feira (05), decreto que regulamenta o Proacap (Programa de Atualização do Cadastro da Agropecuária e do E...
Ministério celebra Dia Mundial do Solo com debate sobre produção sustentável 06 de dezembro de 2019 O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento realizou nesta quinta-feira (5) seminário para marcar o Dia Mundial do Solo. A data foi insti...
Boi gordo: vendas de carne continuam sendo o entrave 06 de dezembro de 2019 No fechamento da última quarta-feira (4/12), considerando a praça de São Paulo, a cotação do boi gordo recuou 2,1% e ficou em R$ 215,00/@ à vist...
Sistemas integrados melhoram em até cinco vezes a produtividade de carne 06 de dezembro de 2019 Como passar de 4 a 6 arrobas de carne por hectare ao ano para uma produtividade pecuária de 20 a 30 arrobas por ha/ano? Para o pesquisador Luiz Adria...
Prazo para cadastro das áreas de cultivo de soja em MS termina dia 10 de janeiro 06 de dezembro de 2019 O prazo para registro das áreas onde os produtores de Mato Grosso do Sul farão o cultivo da soja na safra 2019/2020 termina dia 10 de janeiro. O reg...
Ministério assina contrato com o BID para destinar US$ 200 milhões para a Defesa Agropecuária 06 de dezembro de 2019 O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento assinou nesta quarta-feira (4) o contrato de empréstimo com o Banco Interamericano de Desenvo...


Foto: Divulgação
Para não faltar comida aos animais na época de estiagem, muitas decisões devem ser tomadas no início da estação chuvosa