Notícias

Cevada: cultivares da Embrapa presentes em 70% da área de cultivo

04 de novembro de 2019

A safra brasileira de cevada está estimada em 416 mil toneladas, com produtividade das lavouras 12% maior em relação ao ano passado. As cultivares de cevada da Embrapa, presentes em 70% da área de cultivo, favoreceram o bom desempenho das lavouras com sanidade e produtividade.

Os cultivos com cereais de inverno foram favorecidos pelo frio e clima seco durante o inverno na Região Sul. Porém, as condições do ambiente resultaram no aparecimento de oídio nas lavouras, doença que pode causar danos de até 28% no rendimento de grãos na cevada. Depoimentos de produtores relatam a necessidade de até quatro aplicações de fungicidas para controle de oídio em cultivares suscetíveis à doença.
 
Há vários anos, o programa de melhoramento genético de cevada da Embrapa Trigo avalia linhagens visando à caracterização quanto à reação ao oídio. O agente causal, Blumeria graminis f. sp. hordei, possui grande variabilidade genética, sendo o uso de cultivar de cevada resistente, por longo período e em larga escala, fator de pressão de seleção sobre o patógeno, levando à seleção de raças capazes de quebrar a resistência. As mais recentes cultivares lançadas pela Embrapa contêm o gene mlo, que confere resistência durável a todas as raças do fungo causador do oídio.
 
O uso de cultivares da Embrapa, identificadas pela sigla BRS, contribuiu para o aumento de produtividade na cultura da cevada. Em 1985, quando o programa de melhoramento genético da Embrapa começou a atuar em cevada, a produtividade média coma as primeiras cultivares BRS foi de 1.671 kg/ha. Dez anos depois, as cultivares BRS ocupavam 46% da área cultivada com cevada no Brasil e a produtividade média saltou para 2.526 kg/ha. Em 2016, um dos melhores anos para a cevada, a produtividade média nacional superou 3.900 kg/ha e as cultivares BRS ocuparam cerca de 90% da área plantada. Nesta safra, com as colheitas ainda em andamento, a estimativa é chegar aos 3.557 kg/ha de média, com 70% da área com cultivares BRS.
 
“Pode-se afirmar que a disponibilização da genética Embrapa representou um divisor de águas na produção nacional, consolidando a cevada como mais uma opção rentável para os produtores de grãos do Sul e do Cerrado”, avalia o pesquisador da Embrapa Trigo Euclydes Minella. O pesquisador destaca ainda que, se depender da competitividade da genética Embrapa, o País pode voltar a pensar na autossuficiência em cevada e malte tentada nos anos 70. 

Fonte: Embrapa
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Sexta-feira com pancadas de chuva e máxima de 35°C em Mato Grosso do Sul 06 de dezembro de 2019 O tempo em Mato Grosso do Sul nesta sexta-feira (06.12) deve permanecer instável. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de cé...
Decreto regulamenta atualização de cadastro obrigatório para produtores rurais 06 de dezembro de 2019 O Governo do Estado publicou nesta quinta-feira (05), decreto que regulamenta o Proacap (Programa de Atualização do Cadastro da Agropecuária e do E...
Ministério celebra Dia Mundial do Solo com debate sobre produção sustentável 06 de dezembro de 2019 O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento realizou nesta quinta-feira (5) seminário para marcar o Dia Mundial do Solo. A data foi insti...
Boi gordo: vendas de carne continuam sendo o entrave 06 de dezembro de 2019 No fechamento da última quarta-feira (4/12), considerando a praça de São Paulo, a cotação do boi gordo recuou 2,1% e ficou em R$ 215,00/@ à vist...
Sistemas integrados melhoram em até cinco vezes a produtividade de carne 06 de dezembro de 2019 Como passar de 4 a 6 arrobas de carne por hectare ao ano para uma produtividade pecuária de 20 a 30 arrobas por ha/ano? Para o pesquisador Luiz Adria...
Prazo para cadastro das áreas de cultivo de soja em MS termina dia 10 de janeiro 06 de dezembro de 2019 O prazo para registro das áreas onde os produtores de Mato Grosso do Sul farão o cultivo da soja na safra 2019/2020 termina dia 10 de janeiro. O reg...
Ministério assina contrato com o BID para destinar US$ 200 milhões para a Defesa Agropecuária 06 de dezembro de 2019 O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento assinou nesta quarta-feira (4) o contrato de empréstimo com o Banco Interamericano de Desenvo...


Foto: Divulgação
Rendimentos 12% maior nesta safra