Notícias

Instrução Normativa estabelece regras para destinação de resíduos da pecuária

21 de outubro de 2019

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento publicou nesta sexta-feira (18), no Diário Oficial da União, a Instrução Normativa 48/2019, que estabelece as regras sobre o recolhimento, transporte, processamento e destinação de animais mortos e resíduos da produção pecuária como alternativa para a sua eliminação nos estabelecimentos rurais. A IN estabelece regras que possibilitam a utilização de rotas tecnológicas para o os resíduos da produção pecuária de forma sanitariamente segura, alternativas às práticas até então adotadas.

De acordo com a Instrução Normativa, para destinar animais mortos e resíduos da produção pecuária para unidade de recebimento, de transformação ou de eliminação, o estabelecimento rural deve possuir cadastro atualizado junto ao Serviço Veterinário Oficial e dispor de um local exclusivo para o recolhimento, que deverá estar fora das áreas utilizadas para o manejo da exploração pecuária e afastado das demais instalações do estabelecimento rural.
 
Os veículos utilizados para o transporte de animais mortos e resíduos da produção pecuária devem ser de uso exclusivo para esta finalidade. Também devem ser vedados e identificados. É obrigatório o porte de Documento de Trânsito de Animais de Produção Mortos (DTAM) durante todo o percurso para o transporte de animais mortos e resíduos da produção pecuária.
 
O Serviço Veterinário Oficial de cada estado deverá estabelecer os controles necessários para a devida aplicação da IN. A elaboração da norma contou com a participação das representações de toda cadeia produtiva de proteína animal e dos diversos órgãos governamentais, para ajustar as regras estabelecidas em consonância com a realidade observada na produção primária do país.
 
Contexto
 
Nos últimos 30 anos, o segmento pecuário brasileiro implementou alterações significativas na criação de animais domésticos que ampliaram a capacidade de produzir produtos de origem animal, atendendo demanda crescente da população mundial.
 
Com isso, montantes significativos de resíduos passaram a ser gerados com a intensificação e concentração da produção por parte dessas cadeias, em curto espaço de tempo, impondo o desafio de encontrar um manejo adequado para mitigar os riscos que representam ao meio ambiente e ao status sanitário dessas cadeias.
 
Práticas até então rotineiramente utilizadas no interior dessas propriedades como o enterrio, a incineração e a compostagem passam a ser insuficientes para equacionar esta questão, ocasionando adversidades aos produtores e ao meio ambiente.

Fonte: Mapa
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Segunda-feira de tempo parcialmente nublado com máxima de 34°C no Estado 20 de janeiro de 2020 A semana em Mato Grosso do Sul começa com tempo parcialmente nublado. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de céu nublado co...
Pressão de baixa continua no mercado do boi gordo 20 de janeiro de 2020 Em São Paulo, o boi gordo caiu na última quinta-feira (16/1) e ficou cotado em R$ 195,00/@, à vista, bruto, R$ 194,50/@, com desconto do Senar, e R...
Carne bovina sem osso caiu 1,1% nesta semana no atacado 20 de janeiro de 2020 Janeiro continua com mais uma semana de retração no mercado atacadista de carne bovina sem osso. Segundo levantamento da Scot Consultoria, nos últi...
Brasil e Alemanha firmam acordo de cooperação técnica no setor agrícola 20 de janeiro de 2020 Os governos do Brasil e da Alemanha assinaram neste sábado (18) memorando de entendimento para Diálogo Agropolítico Alemão-Brasileiro. O acordo fo...
Com recursos do Fadefe, Semagro auxilia implantação de frigorífico em Rio Negro 20 de janeiro de 2020 O município de Rio Negro está perto de ganhar sua primeira indústria, um frigorífico bovino, e a Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvim...
Colheita da soja está atrasada no Estado do Mato Grosso 20 de janeiro de 2020 A colheita da soja 2019/20 começou no Estado do Mato Grosso. De acordo com informações do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea)...
Novos adidos agrícolas assumem missão no exterior 20 de janeiro de 2020 Os novos adidos agrícolas começaram a tomar posse nas representações diplomáticas brasileiras no exterior. Antes de iniciarem a missão, os nove ...


Foto: Divulgação
O Serviço Veterinário Oficial de cada estado deverá estabelecer os controles necessários para a devida aplicação da IN