FCO Rural reabre para novas propostas após aporte extra de recursos autorizados pelo Condel

10 de outubro de 2019

Excelente notícia ao empresário do setor rural que havia perdido o prazo para pleitear recursos do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). O Banco do Brasil volta a aceitar novas propostas após o aporte de R$ 335 milhões conseguidos pelo governo do Estado junto ao Condel (Conselho Deliberativo do Desenvolvimento do Centro-Oeste). Esse valor foi destinado na totalidade para investimentos no setor rural.

Dessa forma, o prazo para apresentar propostas – que havia se encerrado há mais de 60 dias – agora está reaberto até que todo o volume de recursos seja aplicado. “Em princípio o Conselho gestor decidiu dar preferência para os projetos já internalizados. Como essa demanda foi atendida e restaram em torno de R$ 200 milhões, o banco volta a aceitar novas propostas, dinheiro que chega em boa hora para aqueles empresários que estão buscando financiamento no mercado”, disse o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, que preside o Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo FCO (CEIF/FCO).
 
O recurso extra de R$ 335 milhões liberados pelo Condel, após repactuação do volume total do Fundo acertada durante a última reunião realizada em 17 de setembro, foi canalizado todo para o setor rural tendo em vista a grande demanda existente. Desse total – explica Verruck - R$ 120 milhões destina-se especificamente para atender projetos de suinocultura e o restante (R$ 215 milhões) para propostas em geral.
 
O secretário alerta que o Estado tem até 15 de dezembro para fazer a alocação de todo montante. É importante que o volume disponibilizado seja colocado no mercado para capacitar Mato Grosso do Sul a pleitear aumento ou, no mínimo, manter o total de recursos destinados ao Estado pelo Fundo.
 
A decisão de canalizar R$ 120 milhões para projetos no setor de suinocultura já é resultado da ação para atração de novos investimentos feita pelo governo do Estado durante o SIAVS (Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura), realizado em setembro, em São Paulo. Verruck acompanhou o governador Reinaldo Azambuja e técnicos da Semagro no evento em que Mato Grosso do Sul foi o único estado com stand institucional, por onde passaram autoridades e representantes de diversas empresas.
 
“Precisamos de um crescimento de produção de suínos acabados para atender as indústrias locais”, justificou Verruck. Portanto, independente da reabertura para novas propostas ao setor rural, está mantida a reserva de recursos à suinocultura.
 
O CEIF/FCO é o órgão colegiado de deliberação coletiva, vinculado à Semagro, responsável por gerir os recursos da linha de financiamento. O Conselho é presidido pelo secretário da Semagro e integrado por representantes das Secretarias de Infraestrutura (Seinfra), de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), dos órgãos vinculados à Semagro: Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) e Imasul (Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul); das federações de Agricultura, Indústria e Comércio; do Sebrae e da Federação de Trabalhadores Rurais (Fettar/MS).
Fonte: Semagro