Notícias

Em terra de boi peixe também come capim

28 de março de 2010

Desconhecido por muitos, o peixe Carpa Capim é um grande aliado no trabalho de produtores rurais e da sociedade de um modo geral. Isso acontece devido ao fato do alevíno se alimentar basicamente de vegetais, contribuindo assim para a limpeza de represas e bebedouros. O trabalho realizado com o peixe é desenvolvido pelo Projeto Isca Viva que também produz outras espécies como Tuvira, Caranguejo, Piaçu e Lambari.

Para o criador do Projeto, Luiz Acorci, são inúmeras as vantagens de adquirir o Carpa Capim. “Além da limpeza de bebedouros e represas, o peixe também pode ser criado para o consumo, já que tem pouca espinha, a carne é magra e ele supera os 25 kg”, revela. Ele acrescenta que a espécie é de fácil cultivo e o filé é de extrema qualidade. O ideal é que seja colocado um peixe para cada 8m² de uma represa, em caso de limpeza do local, porém se o destino for o consumo recomenda-se um para cada 2m² e a capacidade de crescimento dele é de 2 Kg por ano.

“Nós temos toda a estrutura para atender a necessidade de todos que se interessarem pelo Carpa Capim, ou qualquer outro peixe. Já enviamos para vários estados brasileiros e tudo vai despachado em caixas de papelão devidamente oxigenadas, para que não haja problema nenhum na hora da entrega”, explica Luiz.

Projeto Isca Viva

Aproximadamente três milhões de lambaris foram produzidos em 2009, entre eles também são criados caranguejo, Piauçu e Tuvira. Este último está sendo trabalhado para que em 2011, esteja pronto para ser comercializado.

O Projeto Isca Viva tem uma lâmina d´água de seis hectares, sendo 40 tanques de 1500m². Em parceria com a Embrapa Pantanal e Finep (Financiadora de Estudos e Projetos do Ministério da Ciência e Técnologia), o projeto busca desenvolver técnica capaz de estimular a reprodução de Tuvira em cativeiro. Por ser a principal isca viva utilizada no Pantanal, a pesquisa sobre a reprodução da Tuvira possui forte impacto social, visto o grande número de isqueiros que dependem da sua coleta da natureza.

Para saber mais sobre o projeto, ou até mesmo fazer encomendas o escritório está localizado em Campo Grande/MS, na Av. Salgado Filho, 1.065, Bairro Orfeu Baís, e o telefone para contato é: 3325-5896 ou 3382-7695.
 


Fonte: Fábio Sarzi - Via Livre Comunicação
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Caminhos do Produtor chama sociedade para movimento de caminhoneiros 25 de maio de 2018 O Programa Caminhos do Produtor, que vai ao ar hoje a partir das 22 horas pelo Canal 181 da NET aborda, entre outros assuntos, os reflexos do moviment...
"Não cabe ao Congresso definir preço de combustíveis", diz Eunício 25 de maio de 2018 O presidente do Senado, Eunício Oliveira, disse nesta sexta-feira (25) que não cabe ao Congresso definir preço de combustíveis. Evitando se posici...
Mesmo após acordo, caminhoneiros mantêm 37 pontos de interdição em MS 25 de maio de 2018 Mesmo após acordo com o governo federal, anunciado na noite de ontem (25), os caminhoneiros mantêm 37 pontos de interdição em rodovias federais de...
Na internet, caminhoneiros negam acordo com o governo 25 de maio de 2018 As propostas anunciadas pelo governo federal para tentar conter a manifestação dos caminhoneiros não foi recebida por unanimidade pela categoria. E...
Alta do petróleo encarece exportação de carne 25 de maio de 2018 A alta de preços do petróleo e o aumento de embarques para o Extremo Oriente, principalmente após o embargo russo às proteínas bovina e suína do...
Greve dos caminhoneiros dificulta logística do mercado do boi gordo 25 de maio de 2018 Com as dificuldades de logística, em geral, não há referência no mercado do boi gordo e as escalas pararam de avançar. A última alta do preço d...
ABPA: cadeia de aves e suínos está com 120 plantas frigoríficas paradas 25 de maio de 2018 A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) alerta para o descumprimento de uma promessa feita pelas lideranças dos caminhoneiros, na quarta...