Notícias

Colheita do milho chega a 25% no Centro-Sul

16 de julho de 2018

O levantamento da consultoria AgRural mostra que, com ritmo acelerado apenas em Mato Grosso e grande atraso no Paraná, a colheita da safrinha de milho chegou na quinta-feira (12) a 25% da área cultivada com o cereal do Centro-Sul do Brasil. “Apesar do avanço de nove pontos sobre os 16% de uma semana atrás, a colheita segue atrasada na comparação com os 36% do ano passado e os 31% da média de cinco anos.”

Os técnicos da consultoria explicam que a defasagem se deve às temperaturas mais baixas, que têm dificultado a perda de umidade em algumas regiões, o que aumenta ainda mais o atraso provocado pelo plantio tardio.
 
Eles observam que se cenário de mercado fosse outro os produtores colheriam o milho mesmo com umidade acima do normal. “Mas, com preços pouco atraentes e dúvidas logísticas herdadas da greve dos caminhoneiros, a maioria não tem demonstrado pressa.”
 
Segundo a consultoria, em Mato Grosso a colheita avançou 16 pontos na semana e chegou a 49% - em linha com os 50% da média de cinco anos, mas abaixo dos 61% de um ano atrás.
 
Em Mato Grosso do Sul, a colheita está em 8%, contra 15% há um ano. Apesar da umidade ainda alta, a colheita começou a engrenar em Goiás, onde as máquinas passaram por 13% da área de milho. Mesmo assim, o atraso ainda é grande em relação aos 30% do ano passado.
 
Os relatos de campo obtidos pela AgRural dão conta que a colheita segue devagar no Paraná, onde apenas 3% da área está colhida, bem atrás dos 19% do ano passado. ‘O atraso é consequência do plantio tardio e da umidade elevada em áreas que já estão prontas para as colheitadeiras.” Em São Paulo e Minas Gerais, 6% e 7% da área está colhida, respectivamente.
 
Na sexta-feira passada (6), a AgRural elevou sua estimativa de produção na segunda safra de milho do Centro-Sul em 300 mil toneladas, para 53,6 milhões de toneladas. Houve novos cortes na produtividade esperada do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul, mas eles foram mais do que superados pela melhora da expectativa de rendimento das lavouras de Mato Grosso e Goiás. Ainda assim, a queda de produção em relação a 2017 é de 16%, devido ao recuo de área e à estiagem. Para o Brasil, a produção é estimada em 57,1 milhões de toneladas (-15%).

Fonte: Revista Globo Rural
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Decisão judicial assegura atividades da Expogrande 2019 22 de fevereiro de 2019 Decisão proferida no dia 21 de fevereiro último pelo juiz José Henrique Neiva de Carvalho e Silva, da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e...
Sexta-feira ainda com céu nublado e chance de chuva para Mato Grosso do Sul 22 de fevereiro de 2019 A sexta-feira (22.02) não deve apresentar grandes mudanças no tempo em Mato Grosso do Sul. O céu continua parcialmente nublado com pancadas de chuv...
Investimentos do Plano Agrícola e Pecuário têm crédito adicional de R$ 791 milhões 22 de fevereiro de 2019 Os produtores rurais terão mais R$ 791 milhões para seus investimentos no Plano Agrícola e Pecuário 2018/19, com a autorização de remanejamento ...
Oferta reduzida dificulta compra dos frigoríficos 22 de fevereiro de 2019 O cenário na maioria das regiões é de mercado travado, com equilíbrio entre oferta restrita e lento escoamento. No fechamento da última quarta-fe...
Ministra afirma que questão do leite em pó está superada 22 de fevereiro de 2019 A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, afirmou nesta quinta-feira (21) que a questão da taxa de importação do leite...
Carne bovina: queda nos preços no atacado na primeira quinzena 22 de fevereiro de 2019 Desde o final de dezembro do ano passado, a carne no atacado ficou 7,3% mais barata, na média de todos os cortes. Esse comportamento foi puxado pelos...
Ministra: “Temos de evoluir em nossos sistemas de fiscalização e controle” 22 de fevereiro de 2019 A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, defendeu nesta quinta-feira (21) a adoção de procedimentos de fiscalização ...


Foto: Arquivo
A colheita do safrinha de milho chegou a 25% da área cultivada com o cereal do Centro-Sul do Brasil