Notícias

Colheita do milho chega a 25% no Centro-Sul

16 de julho de 2018

O levantamento da consultoria AgRural mostra que, com ritmo acelerado apenas em Mato Grosso e grande atraso no Paraná, a colheita da safrinha de milho chegou na quinta-feira (12) a 25% da área cultivada com o cereal do Centro-Sul do Brasil. “Apesar do avanço de nove pontos sobre os 16% de uma semana atrás, a colheita segue atrasada na comparação com os 36% do ano passado e os 31% da média de cinco anos.”

Os técnicos da consultoria explicam que a defasagem se deve às temperaturas mais baixas, que têm dificultado a perda de umidade em algumas regiões, o que aumenta ainda mais o atraso provocado pelo plantio tardio.
 
Eles observam que se cenário de mercado fosse outro os produtores colheriam o milho mesmo com umidade acima do normal. “Mas, com preços pouco atraentes e dúvidas logísticas herdadas da greve dos caminhoneiros, a maioria não tem demonstrado pressa.”
 
Segundo a consultoria, em Mato Grosso a colheita avançou 16 pontos na semana e chegou a 49% - em linha com os 50% da média de cinco anos, mas abaixo dos 61% de um ano atrás.
 
Em Mato Grosso do Sul, a colheita está em 8%, contra 15% há um ano. Apesar da umidade ainda alta, a colheita começou a engrenar em Goiás, onde as máquinas passaram por 13% da área de milho. Mesmo assim, o atraso ainda é grande em relação aos 30% do ano passado.
 
Os relatos de campo obtidos pela AgRural dão conta que a colheita segue devagar no Paraná, onde apenas 3% da área está colhida, bem atrás dos 19% do ano passado. ‘O atraso é consequência do plantio tardio e da umidade elevada em áreas que já estão prontas para as colheitadeiras.” Em São Paulo e Minas Gerais, 6% e 7% da área está colhida, respectivamente.
 
Na sexta-feira passada (6), a AgRural elevou sua estimativa de produção na segunda safra de milho do Centro-Sul em 300 mil toneladas, para 53,6 milhões de toneladas. Houve novos cortes na produtividade esperada do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul, mas eles foram mais do que superados pela melhora da expectativa de rendimento das lavouras de Mato Grosso e Goiás. Ainda assim, a queda de produção em relação a 2017 é de 16%, devido ao recuo de área e à estiagem. Para o Brasil, a produção é estimada em 57,1 milhões de toneladas (-15%).

Fonte: Revista Globo Rural
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Renda agropecuária de Mato Grosso do Sul deve subir aproximadamente 5% 13 de dezembro de 2018 O VBP – Valor Bruto de Produção – deve aumentar aproximadamente 5% em 2019. A previsão foi anunciada, nessa quarta-feira (12), pelo pre...
Programa Soja Plus intensificará atividades em Bonito, Jardim e Bodoquena 13 de dezembro de 2018 Agricultores da região de Jardim, Bonito e Bodoquena receberão reforços em suas propriedades com o Soja Plus, um programa de adesão gratuita, admi...
Iagro monitora Influenza Aviária e Doença de Newcastle no Estado 13 de dezembro de 2018 A Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) realiza o monitoramento anual da Doença de Newcastle e Influenza Aviária do Sítio...
Brasil antecipa meta de reduzir emissão de CO2 com a agropecuária sustentável 13 de dezembro de 2018 O Brasil mitigou entre 100,21 e 154,38 milhões de Mg CO2 equivalente (equivalência de dióxido de carbono) , no período de 2010 a 2018, alcançado ...
Expectativa de maior demanda dá firmeza ao mercado do boi 13 de dezembro de 2018 Com a expectativa de maior consumo de carne devido às festividades de final de ano, os frigoríficos buscam abastecer os estoques para atender a dema...
FPA e entidades do setor produtivo debatem desafios da agropecuária em 2019 13 de dezembro de 2018 O cenário da agropecuária e do Brasil para o próximo ano: desafios e perspectivas. Esse foi o tom do discurso no seminário Agro Cenário 2019, rea...
Preço do sebo bovino subiu 16,7% no segundo semestre 13 de dezembro de 2018 Apesar da demanda em alta, o preço do sebo bovino ficou estável na última semana. Segundo levantamento da Scot Consultoria, no Brasil Central, o pr...


Foto: Arquivo
A colheita do safrinha de milho chegou a 25% da área cultivada com o cereal do Centro-Sul do Brasil